Página inicial
 
Mural de recados
22.02 | Centralino
Só me pergunto porque trouxeram esse raniere e o tal de Rafael 1 meia e 1 volant ...
22.02 | Carlos
O central joga com menos um com esse Luizão eita jogador ruim da porra. ...
22.02 | ailton
este luizão não presta e ruim de maisss ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
31/01/2018
08h53 | esportes - NÁUTICO
NÁUTICO --- Contra Cordino, time tenta quebrar série de eliminações na 1ª fase da Copa do Brasil
Além da cota de R$ 600 mil pela classificação, o Náutico entra em campo nesta quarta-feira, contra o Cordino-MA, para quebrar uma escrita negativa recente na Copa do Brasil. Isso porque das últimas cinco edições do torneio, em três os alvirrubros amargaram a desclassificação logo na primeira fase. Duas delas, nos dois últimos anos. 

No ano passado, quando a competição passou a adotar o regulamento que prevê jogo único das duas primeiras fases, o Náutico fez a sua estreia fora de casa contra o Guarani, de Juazeiro do Norte (CE), e acabou derrotado por 1 a 0, dando adeus à competição. Na ocasião, foi a quarta derrota seguida da equipe, que custou o emprego do técnico Dado Cavalcanti.

Já em 2016, quando a Copa do Brasil ainda previa a realização de dois jogos desdes as fases iniciais (desde que o time visitante não vencesse a ida por placar a partir de dois gols de diferença), o algoz alvirrubro foi o Vitória da Conquista. No jogo de ida, no interior baiano, empate sem gols. Já na volta, na Arena de Pernambuco, nova igualdade, dessa vez por 1 a 1 e vaga perdida no gol qualificado fora de casa.

Outra eliminação recente do Náutico ainda na fase inicial da Copa do Brasil veio em 2013, para o Crac-GO. Após derrota fora de casa na ida por 3 a 1, os alvirrubros não tiveram força de reação no jogo de volta, ficando apenas no empate por 1 a 1, ainda jogando nos Aflitos. Vale a ressalva, porém, que neste ano o clube teria que abrir mão da Copa do Brasil até a terceira fase para confirmar sua participação na Copa Sul-Americana.

Já em 2014 e 2015, as eliminações do Náutico vieram na 2ª e 3ª fase, respectivamente. No primeiro caso, após passar pelo Sergipe na fase inicial, os alvirrubros esbarraram no América-RN, com direito a um público de apenas 354 pessoas no jogo da volta (após derrota por 3 a 0 na ida). Até hoje o menor público da história da Arena de Pernambuco.

Em 2015, uma campanha um pouco mais digna, com a queda só ocorrendo para o Flamengo, também na Arena, após derrota por 2 a 0 (na ida, os dois times haviam empatado por 0 a 0 no Maracanã). Dessa vez com um público de 16.744 torcedores.

Por sinal, o clube carioca também foi o algoz do Náutico na melhor campanha do time pernambucano na Copa do Brasil, quando chegou na semifinal da edição de 1990.
 
DO SUPER ESPORTES PE 

...
 
 
 
eXTReMe Tracker