Página inicial
 
Mural de recados
18.01 | centralino
Tem muito imbecil que tem prazer em vir fazer postagem aqui posando de torcedor ...
18.01 | Willians Maia
Amigos...fico estarrecido como todos os anos e toda troca de Presidente no Centr ...
18.01 | Glauco
Esse conformismo idiota dos torcedores do Central, é o que mais irrita, empatar ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
18/11/2017
23h17 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B - Náutico 1x2 Vila Nova - Timbu volta à lanterna da Série B
A vergonha sempre pode ficar maior. Já rebaixado há duas rodadas, o Náutico voltou neste sábado a ocupar a lanterna da Série B do Campeonato Brasileiro com a derrota por 2 a 1 para o Vila Nova, num Arruda às moscas. A equipe pernambucana foi "prejudicada" pela vitória do ABC sobre o Oeste, em Natal. Para completar, os alvirrubros encerram a temporada sem conseguir dez vitórias como mandante. Somando todas as competições disputadas este ano, foram apenas nove triunfos, oito empates e 12 derrotas. 

No próximo sábado, em encontro com o também rebaixado Luverdense, em Lucas do Rio Verde, o Náutico encerra sua participação em 2017. Um ano para se esquecer. Ou aprender com os muitos erros cometidos. 
O jogo

Em mais uma partida de observação para o técnico Roberto Fernandes visando a próxima temporada, apenas um jogador conseguiu se destacar e mostrar que pode ser útil em 2018. No caso, o goleiro Busatto. 

Com a equipe alvirrubra esbarrando na sua limitação técnica, o Vila Nova, que ainda sonhava com o acesso, conseguiu dominar as ações com certa facilidade. Mesmo também apresentando problemas. Assim, com mais posse de bola, os goianos foram criando chances. Mas boa parte delas, esbarraram no arqueiro timbu.

Com bom senso de colocação e reflexos, o goleiro praticou pelo menos quatro boas defesas no primeiro tempo. Duas delas com alto nível de dificuldade. A primeira numa cabeçada à queima-roupa do zagueiro Wesley Matos, aos 23 minutos e a segunda, aos 34, em arremate do volante Geovane, na entrada da pequena área.
 
 Já o Náutico, em termos ofensivos, só conseguiu ameaçar em uma falta cobrada pelo lateral-esquerdo Ávila já nos descontos. No mais, o meia Rafinha, de volta ao time, e o trio ofensivo formado por Leilson, Gerônimo e Iago (esse a novidade com relação ao empate da última rodada com o Criciúma) foram figuras nulas. Não conseguiram dar prosseguimento às jogadas e foram desarmados com extrema facilidade.   
Segundo tempo

No retorno para a etapa final, Roberto Fernandes promoveu duas mudanças no Náutico, com as entradas de Amaral e Cal Rodrigues nas vagas de Jobson e Iago. Com isso, Rafinha foi adiantado para atuar como atacante aberto, função que desempenhou na maior parte da Série B. 

Porém, o cenário não mudou, com os alvirrubros marcando mal e dando espaços ao adversário. Assim, não demorou para Busatto voltar a aparecer com outra boa defesa, logo com um minuto, em finalização dentro da área. 

Dois minutos depois, o goleiro alvirrubro não pôde fazer nada. Em nova falha pela esquerda, em cima da Ávila, a bola passou por Aislan e sobrou para o atacante Jenison chutar na pequena área, dessa vez sem defesa. 

Com a vantagem (justa) do Vila Nova no marcador, o ritmo do jogo caiu ainda mais. Isso porque o time goiano, superior em campo, passou a administrar a partida já que do outro lado tinha um adversário completamente inofensivo. 

Aos 20 minutos, Roberto Fernandes fez a sua última tentativa de dar alguma vida ao seu time com Bruno Mota entrando na vaga do zagueiro Léo Carioca. Quinze minutos depois, o meia, de cabeça, conseguiu o empate, após bom cruzamento de Cal Rodrigues. Na comemoração, pediu silêncio aos 286 torcedores presentes ao Arruda. Melancólico.
 
Mas a derrota não seria evitada. Assim como fez no revés para o Londrina, que decretou a queda matemática do Náutico, o zagueiro Aislan cometeu um pênalti desnecessário aos 48 minutos do segundo tempo. Convertido por Alan Mineiro.  
 
Ficha do jogo
Náutico 1
Busatto; Rafael Ribeiro, Aislan, Léo Carioca (Bruno Mota) e Ávila; Jobson (Amaral), Renan Paulino e Rafinha; Leilson, Gerônimo e Iago (Cal Rodrigues). Técnico: Roberto Fernandes.

Vila Nova 2
Luís Carlos; Maguinho, Alemão, Wesley Matos, Gastón; Geovane, Fagner, Alan Mineiro; Mateus Anderson (Wallyson), Ruan (Alípio) e Jenison. Técnico: Hemerson Maria.

Local: Estádio do Arruda.
Árbitro: Grazziani Maciel Rocha (RJ).
Assistentes: João Luiz Coelho de Albuquerque (RJ) e Wendel de Paiva Gouveia (RJ).
Gols: Jenison (3 min do 2º), Bruno Mota (35 min do 2º), Alan Mineiro (48 min do 2º)
Cartões amarelos: Fágner, Wesley Matos, Wallyson (V) 
Público: 286
 
DO SUPER ESPORTES PE 
FOTO: PEU SANTOS 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker