Página inicial
 
Mural de recados
19.09 | cleo
QUARTA DIA 20 , AS 16HS NO ANTONIO INÁCIO PORTO X DECISÃO D BONITO, VAMOS GANHAR ...
18.09 | MARCONDES
O PORTO MOSTROU Q TRABALHO E ORGANIZAÇÃO DÃO BONS FRUTOS, ESPERO Q O CENTRAL SE ...
18.09 | MARCOS LEITE
PARABENS O PORTO FEZ BARBA E CABELO COMO SE DIZ NA GIRIA DO FUTEBOL, GANHOU SÁBA ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
20/06/2017
21h29 | esportes - Série B
SÉRIE B - Náutico 2x3 Goiás - Timbu segue afundando na lanterna, com apenas dois pontos conquistados
Na estreia do técnico Beto Campo, o Náutico mostrou evolução ofensiva, lutou, mas voltou a cometer os mesmos erros primários na defesa, que custaram a sétima derrota em nove rodadas na Série B. Dessa vez, o carrasco foi o Goiás, que saiu com os três pontos após o triunfo por 3 a 2, na Arena de Pernambuco. Com isso, o alvirrubro segue afundado na lanterna, com apenas dois pontos. E a certeza de que a caminhada para a cada vez mais distantes fuga do rebaixamento ainda será longa. No próximo sábado, visita o Guarani, em Campinas,
 
O jogo
Para a sua primeira partida no comando do Náutico, o técnico Beto Campos cumpriu com o prometido e fez alterações pontuais no time. A começar pelas laterais, com os pratas da casa David e Manoel retornando a titularidade, enquanto que no ataque, Gilmar fez a sua reestreia como titular. Novidades que nem tiveram tempo de se aquecer em campo. Com apenas um minuto, o Náutico já estava perdendo a partida. Com o atacante Carlos Eduardo aproveitando cruzamento dentro da área, após falha geral do lado esquerdo da defesa alvirrubra.
 
Com pouco tempo para treinar uma equipe afundada na lanterna da Série B, o  treinador teve pela frente o pior cenário para a sua estreia à frente do Náutico. Porém, apesar das dificuldades, e dos muitos erros ainda presentes na equipe, o Timbu ao menos não se abateu com a desvantagem relâmpago no placar. E explorando sempre o lado esquerdo do ataque, com Giovani e Erick se entendendo bem e sendo os melhores em campo, os alvirrubros pressionaram. Mesmo que sem tanto poder de penetração na defesa esmeraldina.
 
Mas como um prêmio pela insistência, o Náutico teve a melhor chance de empatar já aos 23 minutos, quando Erick foi derrubado na área após receber lançamento de Giovani. Pênalti claro, mas desperdiçando de forma irresponsável por Gilmar, que bateu fraco, no canto, recuando para o goleiro Marcelo Rangel. Um resumo da atuação fraca do atacante. 
 
O que seria outro baque na motivação dos donos da casa, mais uma vez não aconteceu. Sempre pelo lado esquerdo, o Náutico enfim encontrou o seu gol, aos 38, com a colaboração do zagueiro Everton Sena, que mandou para as próprias redes, após cruzamento de Amaral.
 
Porém, se pelo lado ofensivo, o Timbu fazia talvez a sua melhor apresentação nesta Série B, a defesa, mesmo com as mudanças nas laterais, não passava confiança. Com erros de posicionamento e técnicos, a sensação era de intranquilidade cada vez que o Goiás se atirava a frente.
 
Segundo tempo
No retorno para a etapa final, Beto Campo não fez nenhuma mudança na equipe. E seguindo a mesma fórmula do primeiro tempo, de explorar a velocidade de Erick, poderia ter virado logo nos minutos iniciais se o árbitro mineiro Emerson Ferreira tivesse marcado outro pênalti em cima do prata da casa timbu, derrubado por Carlinhos dentro da área
 
Com oito minutos, o novo treinador timbu fez a sua primeira substituição no comando da equipe. E errou ao sacar Giovani para colocar em campo o atacante Iago. Com isso, Gilmar foi recuado para atuar na criação. 
 
Alteração que matou a qualidade de passe no meio de campo alvirrubro, voltando a abusar dos chutões e ligações diretas, deixando de incomodar o Goiás. Se sentindo de novo à vontade em campo, o time alviverde voltou a ficar a frente do marcador, aos 15 minutos, com Tiago Alves subindo mais alto que Darlan e cabeceando sem defesa para Tiago Cardoso.
 
Sentindo a queda de produção do seu time, Beto Campos promoveu a estreia do meia Bruno Mota, aos 20 minutos. Porém, o treinador dessa vez perdeu o outro destaque do primeiro tempo, com Erick pedindo substituição com dores no pulso. 
Mas a marca do Náutico nessa partida foi a de não desistir. Algo necessário para um time que está na atual situação da Série B. E novamente foi premiado com o gol de empate, aos 31 minutos, com Vinícius marcando seu terceiro gol em quatro jogos com a camisa Timbu.
  
Mas a lanterna não é em vão. Há ainda muito a se corrigir. E o sistema defensivo, que durante todo o jogo não passou confiança, voltou a entregar aos 40 minutos, com Jarlan marcando o terceiro do Goiás, após jogada toda construída em cima do lateral David. Mais um castigo em uma Série B penosa para o Náutico.
 
Ficha do jogo
 
Náutico 2
Tiago Cardoso. David, Aislan, Feliphe Gabriel e Manoel; Darlan, Amaral e Giovanni (Iago); Erick (Bruno Mota), Vinícius e Gilmar (Gerônimo). Técnico: Beto Campos
 
Goiás 3
Marcelo Rangel; Tony, Everton Sena, Alex Alves e Carlinhos; Pedro Bambu, Victor Bolt (Elyeser), Léo Sena (Michael) e Tiago Luís; Carlos Eduardo (Jarlan) e Aylon. Técnico: Sílvio Criciúma.
 
Local: Arena de Pernambuco. Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG). Assistentes: Ricardo Junio de Souza (ambos de MG). Gols: Carlos Eduardo (1 min do 1º) e Everton Sena (contra, aos 38 do 1º), Alex Alves (15 min do 2º), Vinícius (31 min do 2º) e Jarlan (40 min do 2º). Cartões amarelos: Victor Bolt, Léo Sena (G), Darlan (N). 
 
DO SUPER ESPORTES PE 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker