Página inicial
 
Mural de recados
27.07 | Patativa
Caro Marcos Leite, vc esqueceu da equipe que desclassificou o Central a duas sem ...
27.07 | Gustavo
Marcos Leite o Campinense foi eliminado na segunda fase pelo Fluminense BA. ...
27.07 | MARCOS LEITE
PATATIVA, O CAMPINENSE UM DOS GRANDES D CAMPINA GRANDE NÃO PASSOU NEM DA PRIMEIR ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
16/02/2017
09h56 | esportes - Náutico
Dado Cavalcanti não é mais o técnico do Náutico
Quatro derrotas seguidas. Foi isso que bastou para o técnico Dado Cavalcanti entregar o cargo de técnico do Náutico. Antes da quarta-feira terminar o técnico se reuniu com a direção alvirrubra e chegaram a um acordo que ele não comandaria mais a equipe após a derrota por 1 a 0 para o Guarani de Juazeiro pela Copa do Brasil. Agora a busca se inicia a busca por um novo treinador para a equipe.

“Eu conversei com Eduardo (Henriques) e de comum acordo, não foi entrega de cargo, um acordo de cavalheiros. Acho que é o momento adequado. Abro mão da multa rescisória pensando na perspectiva do que o clube terá pela frente. Os resultados motivaram essa decisão. Isso nunca aconteceu comigo. Nunca perdi quatro jogos seguidos. Principalmente pela desclassificação na Copa do Brasil. Hoje criamos e tivemos chances, mas não conseguimos vencer. Estava tudo caminhando bem e não tivemos a força de tirarmos o resultado negativo. É algo que eu não esperava e infelizmente não aconteceu”, explicou o treinador após a desclassificação da Copa do Brasil. 

Dado eximiu os jogadores da atual fase do clube e explicou que achou melhor sair do comando técnico. Acredita que uma nova visão possa ajudar o clube. “Os jogadores se dedicaram. Não tenho que que falar deles e nem da direção. Eles sempre me deram o que precisávamos. Parece que tem uma nuvem negra em cima. Talvez a chegada de um novo treinador ajude o time a ir melhor”, comentou.

Questionado se foram apenas as derrotas ou outro fator teria influenciado na sua decisão, Dado foi direto. Negou que exista outro motivo para sair do clube e dissipou qualquer suposta influência do caso Maylson no seu desligamento. “Só foi a sequência mesmo. Não vamos criar outro bicho. A situação de quatro derrotas traz um peso muito grande. Esse peso e esse desgaste faz com que você tenha que sacrificar peças para que o time possa florescer. O problema é que o galho a ser cortado foi o meu. A sequência trouxe esse desgaste”.

Na entrevista coletiva, Dado foi perguntado se poderia dar uma nota do seu desempenho como técnico do Náutico. Em números ele não afirmou, mas disse que o desempenho foi longe do esperado e demonstrou estar insatisfeito com o desempenho ofensivo da equipe. 

“É bem diferente. Uma coisa é trabalho e outra é resultado. O Náutico é quarto colocado no Pernambucano, terceiro em uma chave da Copa do Nordeste e eliminado da Copa do Brasil. Um desempenho pífio. Acho que em campo nossa primeira metade de campo está muito boa e a segunda nem tanto. Precisa de ajustes. Não falo de mudanças ou de trocas, mas alguns ajustes na equipe. Procurar outra forma de buscar o ataque”, pontuou. 

A esperança de Dado era que a classificação com o time pudesse recuperar a confiança e mudar o panorama dentro do clube. Algo que não ocorreu e ele não viu alternativa a não ser dar espaço para outra pessoa fazer o trabalho. “Eu penso que o Náutico tem uma forma de jogar que obviamente o início de trabalho precisa ser amadurecido e de confiança. A medida que o resultado não vem ela é abvalada. A gente não tem tido uma qualidade no último terço de campo e acertado a finalização. Isso é uma autocritíca. Isso faz os jogadores desistirem de tentar algo diferente. Sei que se tivéssemos classificado hoje essa confiança voltaria”.

A decisão é surpreendente não pela sequência negativa de resultados, mas pela pouca quantidade de jogos que o técnico teve no comando do clube. Foram apenas sete partidas no comando do Alvirrubro. O problema foi a recente sequência. Foram apenas duas vitórias, um empate e quatro derrotas. Neste período foram cinco gols marcados, sete sofridos e um aproveitamento de 33,3%.

Dado Cavalcanti foi confirmado como técnico do clube no último dia 2 de dezembro, exatamente um mês antes da pré-temporada ser iniciada. Durante estes 30 dias, Dado se dividiu entre montar o elenco junto com a diretoria e em um curso de técnicos da CBF. O técnico contou com a grande maioria do elenco ainda na primeira semana de trabalho e pode iniciar a implantação do seu esquema tático. 

Nos 21 dias de trabalho com o elenco na pré-temporada, Dado praticamente deu o mesmo número de chances à todos os jogadores e na estreia contra o Uniclinic, mesmo sem seus principais atletas, foi possível ver que o time tinha se adaptado bem ao esquema de jogo sugerido pelo técnico. Contudo, a fragilidade do adversário iludiu quem viu aquela primeira partida. Nos jogos seguintes o time não foi o mesmo. Quando os jogadores mais experientes e considerados titulares entraram na equipe o Timbu caiu visivelmente de produção e o técnico decidiu não seguir mais no comando do clube.
 
Foto: Aldo Carneiro

Do Super Esportes
 
 
 
eXTReMe Tracker