Página inicial
 
Mural de recados
27.04 | Givaldo
Esse tal de Patativa devia mudar o nome para Urubu, esse desgraçado só faz corta ...
27.04 | Patativa
Meu Deus isso foi mostrado e um gramado ou um chiqueiro ...
26.04 | MARCOS LEITE
O CENTRAL PERDEU VÁRIOS BONS JOGAGORES Q DISPUTARAM O PERNAMBUCACNO DESSE ANO, A ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
19/10/2016
09h47 | esportes - NÁUTICO
Náutico pode igualar marca histórica caso vença Luverdense na próxima sexta-feira
NÁUTICO
O ano era 2004 e o Náutico havia sido campeão pernambucano recentemente em uma partida em que tudo deu certo para o time. O título poderia ter feito o Timbu embalar, mas o início foi alternado por bons e maus momentos. Até a sexta rodada. Contra o Avaí, fora de casa, o Náutico venceu e engatou uma sequência de sete vitórias consecutivas e viveu seu melhor momento na competição. Emplacou uma marca que pode ser igualada na próxima sexta-feira, quando enfrenta a Luverdense no Mato Grosso. O curioso é que após 12 anos, dois atletas daquele grupo podem vivenciar a mesma marca novamente.

Rodolpho e Marco Antônio estavam no elenco que conquistou sete vitórias consecutivas na Série B de 2004 . O meia, que era protagonista naquela equipe e chegou a marcar dois gols na sequência, lembrou com carinho daquelas vitórias, mas lembrou que estatísticas não entram em campo e igualar a sequência não é a prioridade da equipe. 

“São muitas decisões para estarmos onde estamos hoje. Não temos que pensar nessa marca. Temos que pensar no jogo a jogo. A gente momento nenhum entra em campo que está em uma sequência de seis vitórias. Estatística é fora de campo. A gente sabe que agora está em terceiro lugar e isso deixa os jogos cada vez mais difíceis.Agora estamos sendo vistos de outro modo pelas equipes. A gente tem que seguir tentando fazer o nosso melhor”, pontuou.
 
 Coincidentemente, o Náutico iniciou a nova sequência de vitórias quando Marco Antônio entrou na equipe. Algo diferente de 2004, quando o meia foi titular em apenas cinco partidas das sete vitórias. A nova marca pessoal sempre é lembrada pela torcida, que o observa como fundamental para que o time embalasse. Experiente, Marco Antônio minimiza os números pessoais. Lembra que o trabalho é de todos e não apenas dele.

“Eu fico feliz e satisfeito. Futebol é engraçado porque o prisma da situação muda de uma hora para outra. Conversávamos sobre tempo sem jogar e quanto tempo eu aguentaria. Temos que levar que momento bom e ruim passa. Não é fácil chegar em um grupo e buscar meu espaço e as vitórias. Me sinto parte da engrenagem. Uma andorinha não faz verão. tenho minha parcela, mas é um trabalho de grupo”, exaltou.

Outros recordes
Na Série B, o Náutico já quebrou outras duas marcas recentes. O Timbu obteve a melhor marca de vitórias na era dos pontos corridos na Série B ao conseguir seis triunfos seguidos e também já tem a sua melhor marca invicta na competição. São oito jogos sem derrotas. Mesmo período em que Givanildo Oliveira comanda a equipe. 

Os números das sequências de vitórias

Em 2004
7 jogos
16 gols marcados
5 gols sofridos
4 jogos sem sofrer gols
4 jogos como mandante
3 jogos como visitante

Em 2016
6 jogos
12 gols sofridos
3 gols sofridos
3 jogos sem sofrer gols
4 jogos como mandante
2 jogos como visitante
 
DO SUPER ESPORTES PE 

...
 
 
 
eXTReMe Tracker