Página inicial
 
Mural de recados
24.06 | Kaio SGD
Olha nos desfalque só o que poder atrapalhar é o desfalque de Agenor o resto pod ...
23.06 | Antonio
Olha a quantidade de possíveis desfalques que o Central pode ter no jogo, é muit ...
23.06 | Danilo
http://sportv.globo.com/site/programas/ta-na-area/noticia/2017/06/empresario-ilu ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
13/09/2016
09h06 | esportes - SÉRIE B 2016
SÉRIE B - Joinville 0x0 Náutico -

Numa partida marcada por um verdadeiro festival de gols perdidos, o Náutico ficou no segundo 0 a 0 seguido neste Brasileiro da Série B. Nesta terça-feira à noite, o Timbu empatou com o Joinville, na casa do adversário, ficando cada vez mais longe da possibilidade de acesso à Série A. A vitória, que esteve ao alcance do Alvirrubro, poderia ter feito a equipe dar um salto na classificação. O resultado, porém, leva o time pernambucano na direção contrária.

A dificuldade no setor ofensivo já era esperada no time do Náutico. Vinha sendo o principal problema do técnico Alexandre Gallo e já é um grande obstáculo ao trabalho de Givanildo Oliveira. Para este jogo, o treinador armou um trio com Rony, Bergson e Jefferson Nem. Imaginou a equipe puxando contra-ataques em velocidade, surpreendendo o Joinville. Não foi o que aconteceu.

A transição da bola para o ataque não acontece de maneira rápida. Renan Oliveira não tem essa característica. Sendo assim, dificilmente o Náutico cria uma jogada por meio de transição. Quase sempre, se tenta a ligação direta. Com isso, o Timbu entregava a posse de bola para o Joinville que, um pouco mais organizado, pressionava. Teve muito mais presença ofensiva, mas não conseguiu transformar as jogadas criadas em gol. Jael, aos 19 minutos, cabeceou para uma grande defesa de Júlio César, na melhor oportunidade do time da casa.

A resposta à pressão do Joinville só veio nos acréscimos do primeiro tempo, quando o Náutico teve um alento ofensivo. Após rondar a área adversária, o Timbu teve num chute de Gastón, pegando de primeira, de fora da área, a sua melhor chance na etapa. O goleiro Jhonatan, porém, fez uma grande defesa, mantendo o placar em 0 a 0.

O segundo tempo começou muito movimentado, com o Joinville ameaçando antes do primeiro minuto. A dinâmica da etapa final foi bem diferente da anterior. O time da casa com uma necessidade flagrante da vitória, se jogou ao ataque com tudo. O Náutico manteve a postura de buscar os contra-ataques e viu no posicionamento mais ofensivo do adversário uma chance para aproveitar algum erro. O problema é que faltava qualidade ao Timbu para transformar o desespero do oponente em gol.

Foi um festival de chances desperdiçadas. Do lado do Joinville, Jael e Heliardo perderam gols incríveis. Pelo Náutico, Léo Santos não ficou atrás, também jogando para fora uma oportunidade inacreditável. Mais uma vez, a falta de qualidade dos jogadores ofensivos foi chave para o insucesso das equipes. Na verdade, a única explicação, diante de tantos gols claros perdidos.

Léo Santos havia entrado na vaga de Jefferson Nem na tentativa de Givanildo Oliveira em dar uma movimentação diferente ao Náutico. Pouco acrescentou, assim como Esquerdinha, já próximo ao fim da partida. Nem o fato de o Joinville ter cansado, por conta da correria implementada no segundo tempo, ajudou o Timbu a aproveitar algum contra-ataque que fosse. Não teve jeito. Precisando ainda se segurar nos minutos finais, o Alvirrubro amargou o segundo 0 a 0 seguido, ficando cada vez mais longe do G4.

Ficha do jogo

Joinville
Jhonatan; Reginaldo, Danrlei, Fabiano Eller e Fernandinho; Paulinho Dias (Juninho), Naldo, Bruno Ribeiro, Thomás (Heliardo) e Giva (Aldair); Jael. Técnico: Lisca

Náutico
Júlio Cesar; Walber (Joazi), Igor Rabello, Adalberto, Gastón; Rodrigo Souza, João Ananias e Renan Oliveira; Rony (Esquerdinha), Bergson e Jefferson Nem (Léo Santos). Técnico: Givanildo Oliveira

Data: 13/09. Local: Arena Joinville-SC. Árbitro: Igor Junio Benevenuto (MG). Assistentes: Pablo Almeida da Costa e Celso Luiz da SIlva (ambos de MG). Cartões amarelos: Naldo, Danrlei (J) e Rodrigo Souza (N). Público: 6.509. Renda: R$ 66.240
 
DO SUPER ESPORTES PE 

 


...
 
 
 
eXTReMe Tracker