Página inicial
 
Mural de recados
22.05 | Aldery
Alguém lembra aqui da Série B de 1997? Da parceria entre Central e Cadimo Barros ...
22.05 | Israelito Almeida
Maravilhosa Graça! E a saga de vergonha continua. Até quando senhores alvinegr ...
22.05 | Patativa
Qual a parceria que fez o Atlético Pernambucano e qual a empresa parceira do Sal ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
03/09/2016
07h47 | esportes - SÉRIE B 2016
SÉRIE B - Sampaio Corrêa 4x3 Náutico - Timbu construía uma vitória tranquila, mas se perdeu no final e levou a virada do lanterna do campeonato
Uma derrota cuja explicação transpõe os planos tático ou técnico. O Náutico vencia o Sampaio Corrêa, lanterna da Série B, até os 26 minutos do segundo tempo. Uma vitória até certo ponto tranquila, principalmente pela limitação técnica do adversário. Cinco minutos depois, o triunfo havia se transformado numa acachapante derrota. Apático, o Alvirrubro assistiu enquanto era esmagado pela pressão do time maranhense. Pagou o preço pelo comodismo de quando vencia o jogo. Agora, a sete pontos do G4, tenta juntar os cacos da derrota para a sequência do campeonato.

O time que entrou em campo tinha nada menos que seis mudanças. A começar pelo gol, em que Júlio César saiu para a entrada de Rodolpho. Igor Rabello, Negretti, Maylson, Vinícius e o estreante Hayner foram as outras novidades, ocupando os lugares de Rafael Pereira, João Ananias, Eurico, Renan Oliveira e Hugo, respectivamente. Mudanças que foram além do quesito técnico e sugerem a vontade do técnico Alexandre Gallo de reformular o futebol do Timbu. Uma estratégia que não deu muito resultado.

Mesmo com muitas alterações, o Timbu começou a partida dominando o rival. Nem por isso apresentava um belo futebol. Na verdade, se aproveitou da deficiência técnica da equipe mandante, que no início do primeiro tempo mostrou porque está na última colocação e a 10 pontos de distância do primeiro time fora da zona de rebaixamento.

Conseguindo tocar a bola no meio de campo, o Alvirrubro chegou à primeira finalização aos 12 minutos, com Gastón, após jogada de escanteio. Quatro minutos depois, Rony recebeu pela esquerda, fintou o marcador e passou para Vinícius. Na entrada da área, o meia bateu com perfeição. Bola no ângulo e placar aberto, sem que o time alvirrubro precisasse fazer muito esforço.

Após o gol, o Timbu se acomodou em campo. Ainda que tivesse maior domínio das ações, o time perdeu em intensidade no ataque. Parecia acreditar que tinha o jogo na mão. Por conta disso, sofreu o castigo. Aos 35 minutos, após falha de marcação da defesa, Pimentinha recebeu de Tássio pela esquerda e fuzilou o canto esquerdo da meta alvirrubra, sem chances para Rodolpho. Antes do final do primeiro tempo, Pimentinha ainda teria nova chance, após falha de Joazi. Desta vez, porém, o goleiro alvirrubro defendeu.

Segundo tempo
O Timbu entrou no segundo tempo com Hugo na vaga do pouco acionado Hayner. E logo aos dois minutos, Jefferson Nem tabelou pela direita e cruzou na medida. Livre de marcação, Vinícius só fez escorar para o gol e colocar o Alvirrubro novamente na frente. O Sampaio só levaria perigo aos oito minutos, em cobrança de falta do lateral Guilherme (ex-Timbu) que Rodolpho defendeu.

Até os 26 minutos, o jogo seguiu num marasmo digno de Série B. Nenhum dos times buscava com intensidade o gol. Novamente acomodado, o Náutico tocava a bola, administrava a vantagem e nada mais que isso. Num lance despretensioso, porém, o Náutico deu a chance que o Sampaio queria. Jefferson Nem tocou Pimentinha, que caiu na área. Pênalti que Elias cobrou empatando. Dois minutos depois, mais um pênalti no atacante, agora de Adalberto. Nova cobrança de Elias e uma virada relâmpago.

Após a virada, o time alvirrubro simplesmente se perdeu em campo. Em contra-ataque, aos 30 minutos, Pimentinha recebeu sozinho e só precisou escorar para o gol. Quarto gol em três minutos e a vitória assegurada para os maranhenses. O Timbu ainda descontaria aos 37, com Igor Rabello, de cabeça, após cruzamento de Rony. Mas já não havia tempo ou futebol no time alvirrubro para que uma reação se concretizasse.

Ficha do jogo

Náutico
Rodolpho; Joazi (Yuri Mamute), Igor Rabello, Adalberto e Gastón; Negretti, Maylson (Rodrigo Souza) e Vinícius; Hayner (Hugo), Rony e Jefferson Nem.

Sampaio Corrêa
Rodrigo Ramos; Guilherme Lucena, Éder Sciola, Wagner e Renan Luís; Diogo Orlando, Tássio e Rayllan (Gustavo Marmentini); Enercino (Jean Carlos), Pimentinha (Felipe Baiano) e Elias. Técnico: Flávio Araújo.

Data: 02/09/16
Horário: 21h
Estádio: Castelão, em São Luís.
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Assistentes: Flávio Gomes Barroca e Vinícius Melo de Lima (ambos do RN)
Cartões amarelos: Joazi, Hugo e Adalberto (Náutico), Rayllan e Pimentinha (Sampaio Corrêa).
Público: 2.769 pessoas.
Renda: R$ 15.620.
 
DO SUPER ESPORTES PE 
 
 
Sampaio e Náutico no Castelão pela Série B (Foto: Divulgação)Sampaio e Náutico jogaram no Castelão (Foto: Divulgação)
.
 
 
 
eXTReMe Tracker