Página inicial
 
Mural de recados
11.12 | MARCOS LEITE
PAULO, SE O CENTRAL TIVER BEM, COMEÇAR COM O PÉ DIREITO , A GALERA VAI EM MASSA, ...
10.12 | paulo
A SERIE D NAO RENDA NADA MUITO PELO CONTRARIO DA MUITO PREJUIZO MEUS AMIGO FOI I ...
09.12 | Rubro Negro
Campeão com mérito? Como assim,série B de 86 tem um monte de time q se intitula ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
27/05/2016
14h48 | esportes - SÉRIE B 2016
SÉRIE B - Náutico 5x0 Sampaio Corrêa - Timbu controlou partida e utilizou a velocidade dos atacantes para vencer
O Náutico desencantou. Ou melhor. O ataque finalmente funcionou. Após três partidas em que sofreu com a falta de pontaria dos seus atacantes, os jogadores que deveriam ser os protagonistas no setor ofensivo decidiram aparecer e foram os responsáveis pela goleada por 5 a 0 sobre o Sampaio Corrêa. Um resultado que tranquiliza o time que ainda procura o seu melhor desde que Gallo assumiu o comando técnico e quem sabe pode ser o combustível que falava para que o Timbu arranque na Série B.

O Náutico surpreendeu antes mesmo de entrar em campo. Ou melhor, Gallo surpreendeu. O técnico barrou o volante Rodrigo Souza, manteve Gaston improvisado na cabeça de área e completou o meio de campo com Maylson. O treinador pode até dar outra explicação, mas o time entrou em campo em um 4-2-3-1, que em alguns momentos, devido ao espaço no meio de campo, parecia um 4-2-4. Algo inesperado, mas explicável pela necessidade de vitória. 

No começo da partida, o Náutico não dominou o meio de campo. Parecia ainda ter dificuldade em assimilar mais uma mudança promovida pelo treinador. O Sampaio se aproveitou. Foi à frente, incomodou a defesa alvirrubra e parecia que dominaria o meio de campo. Doce ilusão para o técnico Wagner Lopes, que fazia a sua estreia no comando da Bolívia Querida. Falta qualidade ao time maranhense e isto ficou evidente após 10 minutos de jogo. 

Mesmo com Gaston e Maylson apenas no meio de campo, o veloz ataque do Náutico se sobressaiu. Rony, que foi a estrela da partida, principalmente. Aos 20 minutos, em arrancada pela direita, o atacante foi derrubado por Luiz Otávio dentro da área e Bergson converteu o pênalti com facilidade. Primeiro gol do atacante após ficar mais de 100 dias fora por conta de lesão. Três minutos depois, Rony apareceu outra vez. Em mais uma arrancada, mas desta vez pela esquerda, o atacante cruzou rasteiro para o meio da área, o goleiro Rafael não segurou e Jefferson Nem ampliou. Com a vantagem, o Timbu tentou segurar mais o jogo e só não ampliou porque após boa jogada de Nem e Maylson, a defesa do Sampaio cortou uma bola que tinha endereço certo. O bastante para o primeiro tempo de um time que mal teve tempo para treinar após a derrota para o Londrina. 

No início do segundo tempo, Gallo não viu tanta necessidade de continuar se expondo e Rodrigo Souza entrou na vaga de Mateus Muller, que havia recebido cartão amarelo no primeiro tempo. Assim, Gaston assumiu a lateral esquerda, seu posto de origem. Antes mesmo de ser possível perceber o que mudaria no Timbu, o placar foi alterado. Prêmio para o jogador que mais buscou o gol. Com um minuto do segundo tempo, Rony fez grande jogada, invadiu a área, tocou na saída de Rafael e marcou o terceiro do Náutico na partida.

A noite era mesmo do ataque alvirrubro e aos dez minutos, a zaga do Sampaio Correia ajudou para que após Rony, Bergson e Jefferson Nem, Rafael Coelho também marcasse o seu gol e, ao menos na noite desta sexta-feira, recebesse aplausos ao invés de vaias da torcida alvirrubra. Em lance bizarro do lateral Gedeílson, que não conseguiu cortar uma bola considerada fácil, Rony dominou em velocidade e não foi egoísta. Rolou para Rafael Coelho que, livre de marcação, só teve o trabalho de rolar para o fundo do gol. A farra de alvirrubra não acabou por aí. Aos 19 minutos da etapa final, Taiberson, que havia entrado há quatro minutos, cruzou no segundo pau e Rodrigo Souza cabeceou fraco, mas o suficiente para que o goleiro Rafael falhasse mais uma vez e aceitasse o quinto gol do Náutico.

O resultado cria um cenário mais do que positivo para o Timbu. Goleada, afastamento da zona de rebaixamento e um resultado que pode trazer o torcedor para mais próximo do time. Basta que contra o Bahia, na próxima terça-feira na Fonte Nova, o Náutico não volte a decepcionar fora de casa. 

FICHA DO JOGO

Náutico 5
Júlio César; Joazi, Rafael Pereira, Eduardo e Mateus Muller (Rodrigo Souza, intervalo); Gaston, Maylson, Rony e Bergson (Taiberson, aos 15’ do 2ºT); Jefferson Nem e Rafael Coelho (Thiago Adan, aos 23’ do 2ºT). Técnico: Alexandre Gallo.

Sampaio Corrêa 0
Rafael; Gedeílson (Guilherme, aos 12’ do 2ºT), Eli Sabiá, Luiz Otávio e Guilherme Santos; Daniel Barros, Daniel Amora, Levi (Henrique, no intervalo), Felipe (Leo Gago, aos 15’ do 2ºT) e Edgar; Max. Técnico: Wagner Lopes.

Estádio: Arena Pernambuco
Árbitro: Francisco de Paula dos Santos Silva Neto (RS).
Assistentes: Maurício Coelho Silva Penna (RS) e Leandro Lincoln Santos Neves (RN)
Gols: Bergson (aos, 20’ do 1ºT), Jefferson Nem (aos, 23’ do 1ºT), Rony (aos 1’ do 2ºT), Rafael Coelho (aos, 11’ do 2ºT)e Rodrigo Souza (aos, 19’ do 2ºT)
Cartões amarelos: Mateus Muller (NAU); Max, Levi e Luiz Otávio (SAM)
Público: 1.546
Renda: R$: 24.750,00
 
DO SUPER ESPORTES PE 
 
 Rafael Martins/Esp.DP
FOTO: RAFAEL MARTINS 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker