Página inicial
 
Mural de recados
16.08 | CLEO
O TERRENO ONDE DEVEM CONSTRUIR O CT DO CENTRAL? TÁ JOGADO PRAS COBRAS, COMO SE D ...
15.08 | MARCOS LEITE
RESTA AOS SÓCIOS PROPRIETÁRIOS DO COMÉRCIO, SE UNIR, RESTAURAR E REFORMAR O CLU ...
15.08 | VICTOR HUGO
É VERDADE GUSTAVO, O CENTRALZÃO TEM Q CONSTRUIR SEU CT NINHO DA PATATIVA NO SEU ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
12/04/2016
15h25 | esportes - NÁUTICO
NÁUTICO > Timbu volta a encarar período sem jogos e passará 10 dias sem atuar
A vergonhosa campanha no Campeonato Pernambucano de 2015 - a pior da história do clube - ainda traz repercussões ao time do Náutico. Eliminado de forma precoce no último Estadual, o Alvirrubro ficou de fora da Copa do Nordeste 2016. O que implicou em um calendário com menos datas neste primeiro quadrimestre do ano. Disputando apenas o Campeonato Pernambucano - e a primeira fase da Copa do Brasil, competição na qual já foi eliminado -, o Timbu tem experimentado algo ao qual não estava habituado. Por conta das datas da competição regional, o Náutico tem passado, com certa frequência, vários dias sem jogos. Se é bom para evitar a fadiga do elenco, apresenta também um efeito negativo. Ao quebrar a sequência de jogos, interrompe o ritmo competitivo do time. Antes das semifinais do Pernambucano, o Alvirrubro vai voltar a ficar longo tempo parado: 10 dias.

O Náutico estreou no Estadual vencendo o Santa Cruz com autoridade: 2 a 0 e um baile tático sobre o tricolor. Na sequência, mais duas vitórias, sobre Central e Salgueiro (que vinha, a propósito, de vitória sobre o Sport e empate com os Tricolores). E aí veio a primeira interrupção. Foram 12 dias sem jogos até a quarta rodada do Pernambucano, quando o Timbu foi à Ilha do Retiro vencer o América por 1 a 0, no que havia sido sua atuação menos positiva até então.

Após o confronto com o Periquito, o Náutico teve um ritmo mais comum, com jogos separados por sete dias e até mesmo uma semana inusitada para a realidade atual: com três jogos, quando foi à Bahia encarar o Vitória da Conquista pela Copa do Brasil. Porém, depois de enfrentar o Santa Cruz no Arruda no dia 20 de março, o Timbu passou duas semanas sem entrar em campo. Isso porque seu jogo com o Central fora adiado em uma semana por conta da partida da Seleção Brasileira na Arena Pernambuco. 

Foi justamente a partida contra a Patativa, em 3 de abril, que fez com que o torcedor alvirrubro ligasse o sinal de alerta. O técnico Gilmar Dal Pozzo refuta a ideia de que o longo tempo sem partidas oficiais influencie no rendimento da equipe. Entretanto, o que se viu em campo foi um Timbu nitidamente com falta de ritmo competitivo. A intensidade - característica do Náutico nas rodadas iniciais - esvaiu-se. Mesmo problema que se viu no jogo seguinte, no dia 7, na eliminação da Copa do Brasil diante do Vitória da Conquista.

Dos clubes que vão disputar a Série B, o Náutico é aquele que tem teve maior tempo de interrupção entre seus jogos. Nenhuma equipe ficou mais de 10 dias sem jogar (o Alvirrubro ficou 15 e 12, frise-se). Nem o Tupi, que fez 11 jogos no ano (um a menos que o Timbu), teve hiato tão longo. Antes da semifinal, separando a partida de ida e o jogo contra o Salgueiro, o Náutico terá passado 10 dias sem jogar. Tempo para Dal Pozzo preparar seu time, mas com o cuidado para não perder o foco e a competitividade.
 
DO SUPER ESPORTES PE 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker