Página inicial
 
Mural de recados
23.04 | Davi
Parabéns ao Salgueiro pela campanha q vem fazendo,embora nos ultimos anos o time ...
23.04 | Patativa
Será que os dirigentes do Salgueiro administram o clube tal como os do Central, ...
23.04 | Alvinegro
Deixa de criticar em vem pra luta também,ninguém administra tantos problemas soz ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
15/08/2015
09h22 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B: Náutico 3x1 Bragantino/SP - Timbu segue vivo na briga pelo G4

 

Rogerinho começou o jogo no banco de reservas. Há quatro jogos ele não era titular. Coincidentemente, o mesmo tempo que o Náutico não vencia na Série B. Quando Flávio trocava as chuteiras com a bola já rolando, Rogerinho deveria observar a cena sem imaginar que em 29 minutos iria substituí-lo e mudar a partida. Mal sabia que seria o principal responsável pelos dois gols do Timbu na vitória por 3 a 1 sobre o Bragantino e que garantiria mais três pontos para o Alvirrubro, que agora está a apenas um ponto do G4

Quando a bola começou a rolar, o Náutico iniciou com apenas 10 jogadores em campo. Flávio, substituto de Fabiano Eller, teve que trocar as chuteiras. Só entrou aos 40 segundos de jogo. Seu atraso foi similar ao seu nível dentro de campo. Sempre devagar nos lances em que tentava desarmar os adversários, o zagueiro falhou duas vezes, demonstrando estar fora de sintonia. 

O esquema com uma linha de cinco defensores funcionou mais uma vez do modo esperado e o Bragantino não teve mais do que três chances reais no primeiro tempo. Por outro lado, no ataque, o time sofria. Era visível que faltava um jogador para organizar o Timbu ofensivamente. Aos 15 minutos, em um lampejo de criatividade, Willian Magrão e Marino tabelaram na entrada da área e Marino entrou livre para finalizar. Poderia ter aberto placar, mas passou para Patrick Vieira empurrar para o gol. Explosão na Arena Pernambuco, mas o atacante alvirrubro estava impedido. Erro de ambos, já que Marino poderia ter feito seu terceiro gol na Série B e Patrick estava mal posicionado.

Sem criatividade, o jogo ficou chato e morno. A torcida só se movimentava para vaiar. Não o adversário, mas o zagueiro Flávio, que voltou a falhar e quase permitiu o primeiro gol da partida ao perder a bola para Rodolfo. Lisca perdeu a paciência e colocou Rogerinho no seu lugar. O zagueiro deixou o campo visivelmente frustrado. A entrada do meia atacante fez o Náutico voltar ao 4-4-2.

Aos 35 minutos, em cruzamento na área, o atleta do Náutico subiu para cabecear e foi deslocado por Alemão: pênalti. Patrick Vieira cobrou e abriu o placar para o Timbu. O gol foi a exceção do primeiro tempo e o jogo voltou a ganhar ares de partida amistosa. O Bragantino, que vinha de três vitórias nos últimos quatro jogos, se mostrou uma equipe sem força ofensiva.
 
Segunda etapa
Dependendo de Patrick Vieira para voltar da entrada da área e tentar armar as jogadas, o Timbu poderia ter feito ao menos três boas jogadas em ataques que iniciavam bem, mas esbarravam na falta de um último passe de qualidade. Somente aos 20 minutos, Lisca decidiu mudar. Colocou Stéfano Yuri no lugar de Hiltinho, mas não foi Stéfano que mudou o jogo.

 

 


Aos 22 minutos, Rogerinho, que já havia sofrido o pênalti que originou o primeiro gol, recebeu cruzamento perfeito de Lucas Faria e apesar da estatura, estufou a rede de Douglas de cabeça. Comemoração efusiva, com direito a tirar a camisa e logo depois receber cartão amarelo.

Com a entrada de Stéfano, Patrick Vieira tornou-se o armador e o jogo fluiu melhor. O Náutico seguiu buscando o gol através de jogadas pelas laterais, mas continuou esbarrando na falta de atenção no último passe. No fim da partida, aos 42 minutos, Stéfano Yuri recebeu lançamento de Rafael Pereira e livre na entrada da área, driblou Douglas para ampliar a vantagem do Timbu. 

Com 3 a 0 no placar, o Náutico poderia ter corrido menos riscos, mas nos acréscimos Júlio César não pode comemorar sair da partida sem sofrer gols após 14 partidas. O goleiro teve que tentar defender um pênalti cobrado por Jobinho, mas ela foi na trave. O capitão alvirrubro comemorou muito, mas por pouco tempo. Em uma jogada confusa, Alan Mineiro recebeu livre na entrada da área e descontou para o Bragantino. Foi o bastante para que os 5.523 torcedores fossem para casa satisfeitos e o Náutico se mantivesse próximo ao G4 da Série B.
Ficha do jogo

Náutico
Júlio César; Lucas Farias, Ronaldo Alves, Rafael Pereira, Flávio (Rogerinho, aos 29’ do 1ºT)e Gil Mineiro; João Ananias, Willian Magrão, Marino e Hiltinho (Stéfano Yuri, aos 20’ do 2ºT); Patrick Vieira (Guilherme, aos 40’ do 2ºT). Técnico: Lisca.

Bragantino
Douglas; Alemão, Leandro, Luan e Roberto; Everton Dias (Edson Sitta, aos 17’ do 1ºT), Jocinei (Tiago Santos, no intervalo), Wigor e Alan; Rodolfo e Lincom (Jobinho, aos 14’ do 2ºT). Técnico: Wagner Lopes.

Estádio: Arena Pernambuco
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Assistentes: Jesmar Benedito Miranda de Paula e Edson Antônio de Souza (ambos de Goiás)
Gols: Patrick Vieira (aos 35’ do 1ºT), Rogerinho (aos 22 do 2ºT) e Stéfano Yuri (aos 42’ do 2ºT) (NAU); Alan Mineiro (aos 48’ do 2ºT).
Cartões amarelos: Willian Magrão, Rogerinho e Hiltinho (NAU);Jocinei e Alemão (BRA)
Público: 5.523
Renda: R$88.920
 
Do Super Esportes 

 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker