Página inicial
 
Mural de recados
23.07 | Centralino
Tô vendo uma coisa boa nesta reforma trabalhista. As ações contra o Central tend ...
22.07 | VICTOR HUGO
COLOCAR LED NO ESTÁDIO OLINDÃO EM OLINDA E AFOGADOS DA INGAZEIRA, ESSA PROPOSTA ...
22.07 | Franco
Gostei Marcos Leite, Já está na hora de Caruaru ter um clube que honre a cidade, ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
25/07/2015
08h44 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B: Náutico vence o Vitória de virada por 2x1 e volta a figurar no G4
Quem gosta de emoção deveria ter ido até a Arena Pernambuco. Teria presenciado uma partida que teve de tudo. Drama, confusão e alegria. O misto de sensações terminou com um lado feliz para o lado alvirrubro. O triunfo por 2 a 1 sobre o Vitória premiou o time que buscou mais o gol e soube lidar com vários erros da arbitragem. Foi o espelho do técnico, que conhecido por ser explosivo, se conteve quando necessário. A tranquilidade refletiu nos seus atletas, que na base da raça conseguiram os três pontos e oTimbu voltou ao G4 da Série B.

O jogo começou com a sensação que O Náutico seria o dono da partida. O Timbu tocava a bola mais no campo de ataque do que na defesa. Contudo, com menos de cinco minutos, o ímpeto alvirrubro foi por água abaixo. João Ananias afastou mal a bola e com apenas um toque Escudero deixou Rhayner livre dentro da área. Júlio César nada pode fazer e o atacante marcou seu primeiro gol diante da torcida alvirrubra, algo que nunca fez durante sua passagem pelo Timbu.

Saindo atrás no placar pela primeira vez na Arena Pernambuco durante a Série B, o Náutico tinha que reagir e o árbitro Elmo Alves Resende Cunha começou a aparecer mais do que deveria. Sem interferir em muito lances, a partida começou a ficar mais dura. O primeiro sinal que a tarde poderia não ser das melhores para o Náutico foi aos oito minutos, quando o atacante Douglas se enroscou com o zagueiro Guilherme Mattis e foi derrubado sem bola na área. O árbitro mandou o lance seguir e despertou a ira dos alvirrubros.

Aos 15 minutos, mais polêmica. Douglas cabeceou a bola e Ednei interrompeu a trajetória com a mão. Elmo Alves Resende Cunha mais uma vez nada marcou. Douglas ria sem parecer acreditar e Lisca se conteve no banco de reservas.

O lance capital da partida ocorreu aos 28 minutos e interrompeu o jogo por quase cinco minutos. Após Rhayner se desentender com Hilltinho, Gaston e Elton se meteram no lance e começaram a trocar empurrões. Ambos receberam cartão amarelo, mas prosseguiram com o desentendimento. No lance seguinte se empurraram novamente e o árbitro expulsou os dois atletas. Pivô no início da confusão, o atacante Rhayner passou ileso e ainda fez gestos obscenos para a torcida alvirrubra. O curioso de toda esta confusão é que o técnico Lisca sentou no banco de reservas e só se levantou quando os atletas estavam expulsos.

A partida prosseguiu, mas o Náutico parecia ter sentido a saída do seu jogador. O time demorou alguns minutos para reencontrar o ritmo, mas quando o fez, poderia ter sido letal. Em contra-ataque, João Ananias recebeu de Hiltinho ainda no meio de campo e arrancou livre em direção ao gol de Fernando Miguel. A chance que parecia ser um gol certo, transformou-se em decepção. O camisa cinco chutou para fora e parecia não acreditar no que fez. O Timbu ainda teria mais uma chance antes do fim do primeiro tempo quando Gil Mineiro recebeu dentro da área e chutou em cima de Ednei.

A ida para o intervalo deveria ser calma, mas as vaias dos torcedores para a arbitragem e para Rhayner esquentaram o clima na Arena Pernambuco. O atacante do Vitória saiu de campo xingando a torcida alvirrubra e foi contido por um membro da comissão técnica do Vitória.

Segundo tempo
Lisca não mexeu novamente na equipe. Já havia perdido Rogerinho por lesão no primeiro tempo e apenas mudou o esquema do Timbu. Em uma espécie de 3-2-1-3, o treinador esperava que com Hiltinho e Carmona aberto nas pontas, Douglas pudesse receber mais bolas. O esquema não mostrou tanto efeito no início e a única mudança em campo foi no gol do Vitória, já que o goleiro Fernando Miguel sentiu uma lesão na coxa e teve que ser substituído.

O uruguaio Roberto Férnandez entrou no jogo e antes de fazer sua primeira defesa, teve que tentar defender um pênalti. Douglas foi derrubado na área por Ednei e foi para cobrança. O goleiro até acertou o canto, mas o atacante conseguiu marcar seu sexto gol na Série B e empatar o placar.

O gol empolgou o Timbu. A equipe foi para cima e Hiltinho teve tudo para virar o jogo, mas perdeu uam chance incrível. O Vitória tentou responder. Continuou a investir nos contra-ataques e quase conseguiu empatar após outro erro de passe de João Ananias. A sorte do volante foi que o goleiro Júlio César fez grande defesa.  

O Náutico continuou a investir e Josimar, que havia entrado minutos antes, teve grande chance. Livre, recebeu bola dentro da área e tentou encobrir o goleiro. Não conseguiu e levou a torcida à loucura. Mas a sorte havia mudado de lado. O Timbu atacava mais e queria a vitória a todo custo e o Vitória começoui a ajudar. O lateral Mansur reclamou muito com o árbitro por ter recebido o cartão amarelo, foi expulso.

Com um a mais o Náutico não demorou para aprovitar a vantagem numérica. Em um lance em que a defesa do Vitória poderia ter afastado a bola com facilidade, permitiram que Rafael Pereira, estreante da tarde, dominasse a bola livre na área. O defensor driblou um adversário e chutou no canto direito do goleiro. Virada e comemoração com o técnico Lisca.

Mesmo com um homem a mais, a aplicação alvirrubtra para virar o jogo parecia ter cobrado seu preço. Cansados, os atletas do Náutico sofreram até o fim da partida para conseguir segurar os ataques dos baianos. A consequência foram pelo menos três boas defesas de Júlio César. O necessário para garantir a vitória e os três pontos.

Ficha do Jogo

Náutico 2
Júlio César; Guilherme (Josimar, aos 20’ do 2ºT), Ronaldo Alves, Fabiano Eller e Gaston; João Ananias, Marino, Gil Mineiro (Rafael Pereira, aos 24’ do 2ºT) e Hiltinho; Douglas e Rogerinho (Pedro Carmona, aos 27’ do 1ºT) . Técnico: Lisca.

Vitória 1
Fernando Miguel (Roberto Férnandez, aos 7’ do 2ºT), Diego Renan, Ednei, Guilherme Mattis e Mansur; Amaral, Flavio (Robert, aos 20’ do 2ºT) , Pedro Ken (Marcelo Mattos, aos 31’ do 2ºT) e Escudero; Rhayner e Elton. Técnico: Vagner Mancini.

Estádio: Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata. Horário: 16h30. Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO). Assistentes: Cristhian Passos Sorence e Bruno Raphael Pires (Ambos de Goiás). Gols: Douglas (aos 10’ do 2ºT) e Rafael Pereira (28’ do 2ºT); Rhayner (aos 5’ do 1ºT) (VIT). Cartões amarelos: Diego Renan, Elton, Ednei, Mansur e Guilherme Mattis(VIT); Gaston (NAU). Expulsões: Gaston (NAU); Elton e Mansur (VIT). Público: 7.848. Renda: R$ 142.220,00.
 
Do Super Esportes 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker