Página inicial
 
Mural de recados
16.08 | CLEO
O TERRENO ONDE DEVEM CONSTRUIR O CT DO CENTRAL? TÁ JOGADO PRAS COBRAS, COMO SE D ...
15.08 | MARCOS LEITE
RESTA AOS SÓCIOS PROPRIETÁRIOS DO COMÉRCIO, SE UNIR, RESTAURAR E REFORMAR O CLU ...
15.08 | VICTOR HUGO
É VERDADE GUSTAVO, O CENTRALZÃO TEM Q CONSTRUIR SEU CT NINHO DA PATATIVA NO SEU ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
16/07/2015
06h18 | esportes - NÁUTICO
NÁUTICO: Lisca lamenta chances desperdiçadas pelo time e elogia dupla de ataque do Flamengo
Lisca poderia ter chegado na entrevista coletiva com o semblante abatido. Poderia ter se prendido às oportunidades desperdiçadas. Poderia reclamar de algum lance. Não teve nenhuma dessas reações. Preferiu reconhecer que a equipe errou pontualmente e que poderia fazer mais.

Na sua opinião, a partida mudou de figura quando o Flamengo teve que fazer uma substitução forçada. A saída de Jonas terminou complicando a marcação que vinha funcionando bem. “Acho que fizemos um bom jogo nos 30 primeiros minutos estávamos bem e o jogo começou a mudar com a saída do Jonas. A entrada do Cirino deu mais força ofensiva ao Flamengo. O Éverton foi para o meio e dali nasceu o gol deles. É um jogador mais ofensivo”, analisou Lisca.

É óbvio que o jogo não foi perdido por apenas uma substituição. O Náutico teve oportunidades de sobra após o gol de Jorge. Esbarrou em Cézar a nas suas limitações. “Mantivemos o equilíbiro e tentamos empatar. Nosso grande pecado foram essas chances perdidas. Tivemos cinco possibilidades e desperdiçamos. Mérito do Cézar também, que fez grandes defesas em bolas do Renato e do Rogério. Depois do segundo gol não teve mais como a gente reagir. Lamentamos por não ter ficado no jogo até o final. Faltou ter empurrado ela para dentro. Eles perdem poucos gols. Eles chegam três, quatro vezes e fazem dois”, pontuou.

Foi visível que quando o Náutico decidiu sair para o jogo, o Timbu teve mais volume e as chances apareceram. A pergunta que ficou no ar era porquê o time não havia feito aquilo antes. Lisca até queria que o time pudesse atuar os 90 minutos naquele ritmo, mas reconheceu que era impossível, ainda mais quando não se consegue o objetivo. “Eles têm qualidade e é difícil suportar o jogo todo naquele ritmo. Acho que espaçamos muito no primeiro temp. Ficamos sem muita articulação e sem ação ofensiva. Eles fizeram o gol cedo e era óbvio que tínhamos que pressionar mais. Esse martelar deu espaços e e eles fizeram o segundo. É como boxe.Você bate, bate e se não derruba leva de volta.”

Elogios ao Flamengo
 
Lisca não falou em superioridade do adversário. Acredita que o Náutico jogou de igual para igual, mas falar em vitória é algo a ser analisado. O diferencial, na sua opinião, da primeira para a segunda partida, foi a adição de Guerrero e Émerson Sheik. “Jogamos com eles sem os dois (Guerrero e Sheik) e eles passam uma tranquilidade e confiança absurda aos seus companheiros. Na primeira parte eles estavam bem controlados e depois conseguiram sair e o jogo mudou. Mas é a qualidade deles. Tenho que parabenizar eles e o Cristóvão”, reconheceu.
 
Do Super Esportes 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker