Página inicial
 
Mural de recados
24.04 | Paulo
Parabéns ao povo de caruaru pelo reconhecimento do time do carcara que represent ...
24.04 | Beltrão
A vigilância tem que estar alerta, um certo clube da capital, adora oferecer cif ...
24.04 | Centralino
Lembrando a FPF que esse ano vai ser mais difícil roubar do Salgueiro, pois o se ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
07/03/2015
17h10 | esportes - Náutico
Náutico - Após dez meses, técnico Lisca retorna ao Timbu e é apresentado oficialmente
CLIQUE e CONFIRA.
Dez meses depois do fim de sua primeira passagem pelo Náutico, o técnico Lisca foi apresentado oficialmente na tarde deste sábado, no CT Wilson Campos. Apesar do período em que esteve fora do clube, ele garantiu estar à par da realidade do clube. Minimizando os problemas de relacionamento que enfrentou na temporada passada, o treinador assegurou estar mais maduro e pronto para comandar a reação pela qual o Timbu precisa passar para mudar sua situação no Pernambucano e na Copa do Nordeste. Confira como foi a entrevista.

Aceitação da torcida

Fico muito feliz. Recebi um convite da diretoria e se estou retornando, é porque algo de bom eu fiz. Da torcida foi uma convocação, já que ficamos sem treinador. Tenho acompanhado o clube lá de Porto Alegre. Mantenho contato com alguns torcedores e realmente foi muita coisa positiva e muita coisa boa que ficou. Com certeza, estou hoje aqui também por isso.

O que mudou do Lisca de 10 meses para o de agora?

A gente sempre ganha experiência. Hoje, faz exatamente 10 meses que deixei o clube. Hoje, conheço melhor as competições: a Copa do Nordeste, o Pernambucano e a Série B, que tive oportunidade de trabalhar pelo Sampaio. Agora, tenho a oportunidade de trabalhar com a comissão permanente do Náutico. Profissionais que admiro muito como Levi, Kuki, Cléber Queiroga, Adriano… Temos uma identificação muito grande de linha de trabalho. Então, isso também vai mudar. A diretoria me chamou para passar algumas situações e prontamente aceitei, porque são bons profissionais. Temos que administrar as questões do dia a dia do futebol com muita tranquilidade. Evoluindo todos os dias.

Problemas de relacionamento

O que passou, passou. O que ficou pra trás ficou. A gente aprende com coisas boas e coisas ruins. As coisas evoluem. O clube aprende, o Lisca aprende também. A gente vai ter uma relação normal e boa. Estou de volta porque a relação era boa.

Não vou falar do passado. vou deixar vocês falarem. Mas as coisas não eram tão ruins assim, senão eu não estaria de volta. Procuro não me envolver mais. MInha relação com a imprensa sempre foi tranquila. Continuo trocando informações com vários repórteres do Recife. Também fui bem recebido pelos profissionais da casa. Levi, Kuki. Mas se sou contestado, cabe a mim provar que as coisas são diferentes.

Análise do grupo

Pude acompanhar o Náutico mesmo a distância. Vocês, da imprensa, permitem isso. Tanto que não acompanhei somente o Náutico. Se vocês me perguntarem o time do Santa Cruz, vou falar. Se perguntaram sobre o Sport, também. Mas é claro que acompanhar de longe é diferente. É preciso conhecer as características do elenco de perto. Estarei com Levi e Kuki e esse jogo será muito com a ideia de nós três. Daqui pra frente será assim. Nós três juntos, decidindo. Contra o Central, já estarei à beira do gramado, com Levi ao meu lado.

Alambrados

Aquilo foi uma situação única. Eu vinha de uma situação de sofrimento também com o Juventude. Muitas dificuldades. Fui retirado da Ilha. Mas acho que acabou ficando legal. Falei com Geninho depois jogando contra o Avaí pelo Sampaio e ele garantiu que não ficou chateado. Virou até vinheta da Copa do NOrdeste. Acho que traduz um sentimento. Mas aquele tabu foi quebrado e na Arena não tem alambrado. Se eu for subir, eu caio. Aquilo foi do momento. O que ficou mesmo foi a qualidade do trabalho. A metodologia. A torcida do Náutico está sedenta por títulos, mas minha volta é a prova de que a torcida também valoriza quem se entrega ao trabalho. Ela valorizou isso e é isso que eu vou passar para os jogadores.

João Ananias

É com muita alegria que vejo o espaço que ele ocupa. Um jogador extremamente profissional. Um jogador moderno pra função. Não é aquele volantão que desarma, mas não joga. Tem compreensão tática do jogo e fisicamente é um dos melhores. Espero contribuir para que ele possa evoluir. A gente vê muitos jogadores que jogaram a Série A e estão na Série B. As coisas mudaram. As pessoas estão começando a parar de pagar contratos astronômicos. Aceitei e me encaixo nesse projeto do clube.

Lisca Doido

Não tenho a mínima inetnção de ser um personagem. Aquilo era de coração. Juventude e Náutico precisavam de um treinador que puxasse o time pra cima. Com o Sampaio foi diferente. Ele vinha de acessos. Hoje também não vejo necessidade de ser daquela forma aqui no Náutico. Foi mais criado por vocês do que por mim. Aqui tomou uma dimensão muito grande porque o pernambucano vive o futebol. Aquilo me chamou muita atenção. Cheguei desconhecido aqui e hoje sou reconhecido. tenho minha capacidade de trabalho reconhecida por vocês.

Acho que pesa pela identificação com o torcedor. Mas o que pesou mais foi o desempenho. Tive o melhor aproveitamento dos treinadores que passaram pelo Náutico nos últimos anos. Isso pesou mais.

Reforços

Estamos observando, conversando. Mas temos um projeto bem definido de aproveitar os meninos e buscar as conquistas. Hoje, estamos fora da classificação nas duas competições. Temos uma linha de trabalho de dar oportunidade aos meninos neste primeiro momento. Depois, na Série B, veremos o que pode ser feito. A grande solução pro Náutico retomar o caminho é voltar à Série A. Temos um investimento certo. Não podemos investir num atleta que não vai ser solução pra gente. É preciso ter calma e tranquilidade. A gente sabe o que está fazendo. Pra Série B, terminam os Estaduais e o mercado muda. Hoje, o Náutico é uma vitrine. É só ver casos como o de Paulinho, Marinho, Marcos Vinícius. Temos que ter calma para não extrapolar nosso limite financeiro.

Análise da situação do time

Temos que ganhar jogos mais do que nunca. Precisamos ganhar do Central, do Moto, fazer resultado em Serra. Infelizmente, não teremos muito tempo. Mas a nível de conversa, posicionamento. Isso sim. Terei reuniões

Carlos Kila

Kila é um cara que conheço há 20 anos. Nos enfrentamos muito na época da base. Ele pelo Grêmio e eu pelo Internacional Quero fazer meu forte, que é o campo. Para as questões de logística, temos pessoas capacitadas. Sou do ditado que diz que “o que é combinado não custa caro”. A conversa com a diretoria foi muito produtiva. Chegamos a um denominador comum.

Atrasos salariais

Passa muito pelo que conversamos. Não adianta fazer loucura por conta de um resultado desfavorável. Não podemos triplicar a folha sem termos condições para isso. Enquanto estive aqui, não tive problema de atraso. Mas sei que a diretoria está com um projeto de pés no chão para cumprir sua parte e manter o ambiente tranquilo.
 
 
Náutico TR Lisca (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)Náutico afirma que quer deixar de lado a alcunha de Doido: "Coisa de vocês" (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
 
Do Super Esportes PE 

...
 
 
 
eXTReMe Tracker