Página inicial
 
Mural de recados
22.11 | CLEO
VERDADE MARCONDES ESSA É A HORA DA MASSA ALVINEGRA AJUDAR O CENTRALZÃO. ...
22.11 | MARCONDES
TODOS UNIDOS PELO CENTRAL, IMPRENSA, DIRETORIA E TORCIDA SÓ ASSIM O CENTRAL VAI ...
22.11 | paulo
ESSE BABACA DA PATATIVA DEVE SER TORCEDOR DO SPORTE RECIFE ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
26/09/2014
21h30 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B -> Náutico vence bem o Paraná na Arena Pernambuco e tem 38 pontos somados na Série B: 3x1
CLIQUE E CONFIRA.

A calma de Dado Cavalcanti e o objetivo de pensar no jogo a jogo foram mais do que aplicados na vitória do Náutico por 3 a 1 sobre o Paraná. Nesta sexta-feira, na Arena Pernambuco o Timbu jogou diferente, a começar pela escalação, que não teve Cañete e sim Tadeu. No sistema 4-3-3, o atacante foi fundamental para que o Timbu conquistasse os três pontos e Dado Cavalcanti pode ter encontrado um novo esquema para que o Náutico siga na caça ao G4.

O começo da partida foi avassalador. Não que o Náutico estivesse apertando a saída de bola do Paraná, mas a presença de três atacantes complicou a vida dos defensores do Tricolor de Curitiba. Em um dos vacilos da defesa, aos três minutos de partida, Sassá encontrou Tadeu na área e o atacante, que retornava a equipe titular após seis partidas, foi derrubado pelo goleiro Murilo. Pênalti claro que o próprio Tadeu cobrou e abriu o placar para o Timbu.

Sair na frente tão cedo foi prejudicial ao time de Dado Cavalcanti, que com a vantagem recuou demais. Porém, no meio de tanta pressão paranista, mais uma chance para o Timbu que teve início nos pés de Paulinho. O chute de fora da área d volante fez a bola ter um breve encontro com a trave e no rebote, Tadeu poderia ter ampliado o placar, mas a ansiedade não permitiu. Por outro lado, o Paraná testava o goleiro Júlio César  com chutes de fora da área e através de cruzamentos. Porém, o camisa 84 mostrou o porquê de ter sido escolhido o capitão desde que assumiu o o gol timbu. 

O Timbu voltaria a causar perigo ao gol de Murilo através de Crislan, que cruzou rasteiro na área e Vinícius bateu sem força para a defesa do goleiro. No lance, Crislan sentiu a coxa direita e foi substiuído por Bruno Furlan. O Paraná seguiu pressionando, mas o Náutico se soltou mais no jogo. O esquema com três atacantes deu certo. Mostrou que poderia produzir mais e Bruno Furlan se beneficiou da quantidade de homens de frente. Em mais uma participação decisiva de Tadeu, Furlan recebeu uma assistência milimétrica e só teve que tirar do alcance de Murilo. 2 a 0 para o Timbu e a certeza de que a segunda etapa seria mais tranquila para os alvirrubros.

Segunda etapa sem gols
Para tentar ao menos empatar, Ricardinho mudou o time do Paraná. Tirou Júlio César que já tinha recebido um cartão amarelo e colocou Arthur. A tranquilidade tão esperada pela torcida timbu quase teve fim quando Henrique invadiu a área do Náutico e tirou do alcance de Júlio César. A bola rolou caprichosamente por dentro da pequena área e saiu ao lado do poste direito. O lance acordou o Timbu para o jogo e a equipe assustou o goleiro Murilo duas vezes, ambas através dos pés de Bruno Furlan. 

A partir dos 15 minutos o Paraná gostou de vez do jogo e a liderança de Júlio César foi determinante para que uma reação não fosse permitida. Após um chute venenoso, o goleiro reclamou com o time inteiro e a resposta Timbu foi imediata. Através de uma bola de Vinícius que beijou a trave e um chute colocado de Sassá, o Náutico poderia ter matado o jogo.

Dado ainda deu mais uma chance ao argentino Cañete e o que ninguém imaginava antes do jogo aconteceu. Tadeu, melhor jogador do Náutico nesta noite, foi aplaudido por toda a Arena Pernambuco quando deu lugar ao argentino. A substituição levou o Timbu para sua antiga formação tática e uma foi um meio do Náutico segurar o resultado. Deu certo, já que Vinícius, com um chutaço de fora da área, ampliou o placar na Arena Pernambuco e imaginava-se que seriam os números finais da partida, caso não fosse uma cochilada no último lance da partida. Henrique recebeu passe de Lúcio Flávio e descontou para o Paraná. Porém, o placar foi o necessário para que o Náutico conseguisse sua 11ª vitória na Série B.

Ficha do Jogo

Náutico 3
Júlio César; Rafael Cruz, William Alves, Renato Chaves e Raí; João Ananias, Paulinho (Elicarlos, aos 35’ do 2ºT) e Vinícius; Crislan (Bruno Furlan, aos 31’ do 1ºT), Tadeu (Cañete aos 29’ do 2ºT) e Sassá. Técnico: Dado Cavalcanti.

Paraná 1
Murilo; Chiquinho, Jean, Alisson e Paulinho; Edson Sitta, Lucas Otávio(Marcos Serratto, aos 32’ do 2ºT), Henrique e Lucio Flavio; Júlio César (Arthur, no intervalo) e Giancarlo (Tiago Alves, aos 39’ do 1ºT). Técnico: Ricardinho. 

Local: Arena Pernambuco. Árbitro: Carlos Ronne Casas de Paiva (AC). Assistentes: Jean Carlos Rodrigues da Silva (AC) e Mario Jorge Ferreira Lima (AC). Gols: Tadeu (aos 3’ do 1ºT) (N), Bruno Furlan (aos 46’ do 1ºT) e Vinícius (aos 38’ do 2ºT); Henrique (aos 48' do 2ºT). Cartões amarelos: Murilo, Alisson e Júlio César (P); Elicarlos (N). Público: 5.219. Renda: R$120.265,00.
 
Do Super Esportes 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker