Página inicial
 
Mural de recados
18.10 | Paulo R
! Antônio, amigo a nova diretoria só faz 15 dias que assumiu o club e vc pergunt ...
17.10 | Antonio do Salgado
Sim entrou uma nova diretoria conversa bonita danada, reformaram a concentraçao ...
17.10 | MARCOS LEITE
A ÚLTIMA RODADA DA SERIE A2 TODOS OS JOGOS AS 15HS, SÓ PRA DEFINIR OS 2 PRIMEIRO ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
23/09/2014
06h00 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B -> Náutico e Portuguesa ficam no 0 a 0 em uma partida de fraco nível técnico no Canindé
CLIQUE E CONFIRA.
Em uma partida em que as duas equipes precisavam da vitória, o esforço de ambos os lados foi longe do esperado. Tanto o Náutico, quanto a Portuguesa, não empolgaram os poucos torcedores que assistiram o 0 a 0 nesta terça-feira no Canindé e viram seus objetivos na Série B ficarem mais distantes. Para a equipe de Dado Cavalcanti, o G4 fica cada vez mais longe e o jogo da próxima sexta-feira, contra o Paraná na Arena Pernambuco, ganhou uma importância muito maior. Um resultado diferente de uma vitória pode setenciar um restante de Série B nada empolgante para os alvirrubros.

O início da partida parecia ser bem melhor para a Portuguesa. O informante de Vágner Benazzi estava bem municiado, pois com menos de 10 minutos de partida a Portuguesa só buscava atacar pelas laterais do Timbu. Visando principalmente o lado esquerdo, onde Raí não teve o mesmo desempenho defensivo que apresentou contra o Ceará, a Lusa pressionou o Timbu nos minutos iniciais, mas sem sucesso. O maior perigo foi através de Gabriel Xavier, que em jogada individual avançou atéa entrada da área e bateu muito próximo da trave direita de Júlio César.

Apesar da pressão inicial dos donos da casa, o Náutico ficou longe da equipe que buscaria a vitória todo custo. Até os 25 minutos o Timbu ainda não tinha finalizado ao gol de Rafael Santos e a equipe seguia no seu campo esperando pela Portuguesa. O nível técnico da partida ficou longe do esperado e os 20 minutos restantes do primeiro tempo foram o bastante para o árbitro Bráulio da Silva Machado, que não deu nem um minuto de acréscimo. 

O início da segunda etapa foi bem parecido com o que foi visto nos primeiros 45 minutos, mas com o Timbu um pouco mais avançado. Buscando Crislan e Sassá, o Náutico chegou a criar, mas não conseguiu finalizar nos primeiros minutos da etapa complementar. A melhor chance no reinício de jogo não veio do lado alvirrubro e sim da Portuguesa. Após Renato Chaves cair sozinho, o atacante Marcelinho, que havia acabado de entrar, colocou Júlio César para trabalhar e por pouco não abriu o placar. 

Sem tanta criação, Dado Cavalcanti tirou Cañete e colocou Tadeu em campo. A tentativa era de investir nos cruzamentos para os três atacantes em campo, mas a alteração foi inexpressiva. A partida tornou-se em uma troca de contra-ataques de ambas as equipes, com a Portuguesa tendo duas claras chances de vencer a partida.
 

O Timbu deu o troco em algumas boas bolas enfiadas para os atacantes. Tadeu impedido e Raí, com uma bola na trave, poderiam ter mudado a partida, mas esbarraram na falta de inteligência e no poste de Rafael Santos. Porém, a falta de qualidade da Lusa ajudou o Timbu a somar um ponto fora de casa. Pouco para quem sonhava com ao menos três pontos nos dois últimos jogos. 

Ficha do jogo

Portuguesa 0
Rafael Santos; Arnaldo, Brinner, Luciano Castan e Jean Mota; Bruno Pinatares (Diogo Orlando, no intervalo), Jocinei, Maycon e Gabriel Xavier; Alemão (Marcelinho, aos 12’ do 2ºT) e Serginho. Técnico: Vágner Benazzi

Náutico 0
Júlio César; Rafael Cruz, Renato Chaves, William Alves e Raí; Paulinho, João Ananias, Cañete (Tadeu, aos 21’ do 2ºT) e Vinícius (Marcos Vinícius, aos 37’ do 2ºT); Sassá e Crislan (Bruno Furlan, aos 32’ do 2ºT). Técnico Dado Cavalcanti.

Local: Estádio do Canindé, São Paulo
Árbitro: Braulio da Silva Machado (SC)
Assistentes: Carlos Berkenbrock (SC) e Nadine Schramm Câmara Bastos (SC-Fifa)
Cartões amarelos: Alemão (P); Cañete, Rafael Cruz e Vinícius (N)
Público: 1.215
Renda: R$14.160,00

.
 
 
 
eXTReMe Tracker