Página inicial
 
Mural de recados
23.05 | Ze ligado
Mas não é com esse ataque de nervos com azul que é um dos piores jogadores que ...
23.05 | Patativa
Esta mensagem vai para o ingrato jogador Araújo,este ex jogador em atividade que ...
23.05 | MARCOS LEITE
PERDEMOS UMA BATALHA, MAS NÃO PERDEMOS A GUERRA VAMOS GANHAR O CORURIPE, CENTRAL ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
11/08/2014
11h04 | esportes - NÁUTICO
NÁUTICO > Números evidenciam crise no timbu que chega ao 10º técnico em menos de dois anos
Clique e Confira.
O desejo de mudança consumia a torcida do Náutico. Até que, no dia 15 de dezembro do ano passado, veio um marco na história do clube. Com uma votação esmagadora de mais de 73% dos votos, Glauber Vasconcelos foi o primeiro candidato de oposição a se tornar presidente do clube. O desejo era claro. Romper com a falta de planejamento que resultou na queda da equipe à Série B do Brasileiro. Injetar sangue novo e uma gestão moderna. Mas, passados sete meses de gestão, a crise que toma conta do Náutico se mostra perene. A demissão do treinador Sidney Moraes, confirmada na noite de ontem, evidencia o caos vermelho e branco.

Depois de viver um bom ano de 2012, com classificação garantida para a Copa Sul-Americana, o Náutico desmoronou com a ida de Alexandre Gallo para o comando das categorias de base da Seleção Brasileira. Desde então, foram nove treinadores. Só neste ano, a diretoria já vai em busca do terceiro. As constantes modificações no comando técnico refletem também no elenco. A cada mudança, contratações e dispensas são feitas. As dívidas trabalhistas aumentam. A dificuldade para pagar os salários também. A bola de neve de problemas se agiganta.

Com a chegada do meia argentino Cañete no fim da semana passada, a conta de atletas que chegaram a assinar contrato com o Timbu nesta temporada aumentou para 45. Dá para formar quatro times de futebol e ainda sobrar um atleta. O quinto pode se completar em breve com a chegada do novo treinador e a possibilidade evidente de novas dispensas e contratações. “A nossa dificuldade é aquela que todo mundo sabe e está sendo divulgada na imprensa o tempo todo, que a dificuldade financeira do clube é grande”, disse o diretor de futebol Paulo Henrique Guerra.

Esse pontos refletem também que a gestão fora de campo ainda tenta se encontrar e respinga nos que se aventuraram a montar o elenco. Em junho, Paulo Alves, Lau Júnior e Fred Galvão acabaram desligados do Timbu. Paulo Henrique Guerra e Francisco Avelar foram convocados pelo presidente, que ainda trocou o gerente de futebol Lúcio Surubim por Carlos Kila. O diretor Zeca Cavalcanti também tomou a frente no departamento de futebol.
Ricardo Fernandes/DP/D.A Press

45
contratos assinados com jogadores em 2014

Goleiros: Alessandro e Júlio César.

Laterais: Hélder Maurílio, Gerley, Jackson, Alisson (assinou pré-contrato, mas foi liberado em seguida por estar machucado), Rafael Cruz, Raí, Neílson, Roberto e Panda (assinou um acordo que foi desfeito após novo entendimento).

Zagueiros: Léo Kanu, Leonardo Luiz, Romário Leiria, Edvânio, Mario Risso, Luiz Alberto e Ricardo Chaves.

Volantes: Zé Augusto, Helder, Dê, Yuri, Rodrigo Possebon, Túlio, Luizinho Mello, Paulinho e Marcone.

Meias: Zé Mário, Vitor Michels, Pedro Carmona,  Vinícius, Roberson, Diego Galo, Wangler e Cañete.

Atacantes: Leleu , Marinho, Hugo, Marcelinho, Rodrigo Careca, Paulo Júnior, Geovane, Tadeu, Crislan e Sassá.

9
treinadores desde a saída de Alexandre Gallo em 2013
(Alexandre Gallo, Vagner Mancini, Silas, Zé Teodoro, Jorginho, Levi Gomes e Marcelo Martelotte, Lisca e Sidney Moraes)
 
Do Super Esportes 

...
 
 
 
eXTReMe Tracker