Página inicial
 
Mural de recados
18.10 | MARCOS LEITE
É VERDADE PAULO RICARDO, DIRETORIA VAI ARRUMAR A KSA, ISSO NÃO PODE SER FEITO DA ...
18.10 | Paulo R
! Antônio, amigo a nova diretoria só faz 15 dias que assumiu o club e vc pergunt ...
17.10 | Antonio do Salgado
Sim entrou uma nova diretoria conversa bonita danada, reformaram a concentraçao ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
26/05/2014
16h07 | esportes - NÁUTICO
NÁUTICO -> Alvirrubro sofreu bastante longe dos Aflitos, mas já superou a ´maldição` da Arena
Clique e Confira.
Nem parece que só passou um ano. No dia 2 de junho de 2013, com um empate em 2 a 2 contra a Portuguesa, o Náutico fazia sua última partida no Estádio Eládio de Barros Carvalho antes de deixar para trás o passado e partir rumo à modernidade, como disseram, à época, alguns de seus dirigentes. Era o momento da aguardada mudança para a Arena Pernambuco, a casa onde o clube passaria a mandar seus jogos e receber seus torcedores.

No novo endereço, o Timbu ainda não conseguiu viver grandes momentos. Inaugurou-o sem vitória, desta vez, com um empate contra o Sporting Lisboa, diante de um público de 27 mil pagantes. Talvez, um prenúncio do que seria o restante da temporada: no Brasileirão, o Náutico fez uma campanha simplesmente tétrica, com 12 derrotas e apenas três vitórias em 17 partidas disputadas na Arena. escapando por três pontos de registrar a pior campanha da história dos pontos corridos.

Depois do fracasso retumbante no ano em que o Náutico teve seu maior orçamento na história, o clube começou 2014 num contexto de absoluta reconstrução. Grande parte do elenco responsável pelo rebaixamento deixou o clube, bem como Marcelo Martelotte, treinador alvirrubro na reta final do certame. A temporada se iniciava com perspectivas sombrias, mas de maneira surpreendente, o técnico Lisca conseguiu extrair de um elenco limitado um padrão tático que levou o Timbu à final do Campeonato Pernambucano.

O título não veio: na grande final, disputada na Arena Pernambuco, os donos da casa não conseguiram superar o Sport, campeão do Nordeste, e deixaram escapar a chance de quebrar um tabu que já perdura uma década. Mas o importante é que a “maldição” construída ao longo de 2013, de que a nova cancha trazia azar, já foi desfeito - afinal, o clube já vem obtendo bons resultados jogando no estádio. Agora, para reforçar a identificação com sua recém-inaugurada casa, falta apenas um título ou uma campanha expressiva. Quem sabe no final do ano, com a volta à Série A?
 
Do Super Esportes 

...
 
 
 
eXTReMe Tracker