Página inicial
 
Mural de recados
24.06 |
Soube que a procura de ingressos foi fraca... Que torcida fraca essa do central ...
24.06 | Gustavo
Lembro de quando anunciaram essa parceria com Granada fiz uma pesquisa e vi que ...
24.06 | Kaio SGD
Olha nos desfalque só o que poder atrapalhar é o desfalque de Agenor o resto pod ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
01/10/2013
06h55 | esportes - SÉRIE A
SÉRIE A > Heroico, Náutico bate Ponte Preta, de virada, e respira na luta contra a queda: 2x1
Clique e Confira.
Uma vitória para dar nova vida ao Náutico. Talvez não para evitar o rebaixamento, missão ainda muito difícil. Mas para devolver o orgulho do torcedor alvirrubro. Em um jogo emocionante, o Timbu conseguiu vencer, de virada, a Ponte Preta por 2 a 1, no Moisés Lucarelli, com o gol da virória saindo aos 48 minutos do segundo tempo. Antes, Hugo havia empatado aos 35 da etapa final. No primeiro tempo, William havia aberto o placar para os campineiros. O Náutico segue na lanterna, mas agora diminuiu a diferença para a Ponte, 19º colocada, para cinco pontos. Domingo, o desafio é contra o líder Cruzeiro, na Arena Pernambuco.

O Náutico do primeiro tempo lembrou o time da era “pré-Martelotte”. Falho na marcação, aceitando a pressão do adversário e sem força ofensiva, com pouco apoio dos laterais, o meio de campo sem criar e Olivera isolado na frente. Filme já visto outras tantas vezes nesse Brasileiro. Com isso, a Ponte Preta foi soberana.

Tanto, que o único lance de perigo a favor do time pernambucano foi um chute de cruzado de Tiago Real, aos oito minutos. Fora isso, o goleiro Édson Bastos praticamente não participou da partida. Por outro lado, não faltou trabalho a Ricardo Berna, que retornou à meta timbu após quatro rodadas.

O goleiro alvirrubro foi obrigado a fazer, pelo menos três boas defesas. Até porque o meio de campo, com o retorno do volante Derley, voltou a ser frouxo na marcação. Na zaga, João Felipe lembrou os seus piores dias. Duas falhas, uma no começo e outra no fim do primeiro tempo ilustram isso. Logo aos cinco minutos, o zagueiro furou e obrigou Leandro Amaro a cometer falta e receber o cartão amarelo.

Já aos 45, quando o empate seria motivo de comemoração, o zagueiro deixou William se antecipar no cruzamento rasteiro e tirar do alcance de Ricardo Berna, deixando a Ponte Preta, justamente, a frente do placar. Foi o 12º gol do atacante da Macaca, vice-artilheiro do Brasileiro.

No retorno para o segundo tempo, Martellote tentou colocar mais criatividade no meio de campo, sacou Tiago Real e colocou o argentino Morales. No entanto, a primeira grande chance do empate surgiu após falha do volante Baraka, da Ponte, que recuou mal a bola e deixou Olivera de cara para o gol. O uruguaio, no entanto, chutou por cima.

O lance animou o time, que passou a frequentar mais o campo ofensivo. No entanto, também abriu espaços para contra-ataques. Em um deles, Rildo driblou Elicarlos e chutou com perigo, para fora, aos 10 minutos. Três minutos depois, William quase amplia, de cabeça, após escanteio. Os dois lances foram suficientes para arrefecer o ânimo timbu, que voltou a errar passes em demasia e aceitar o jogo do time campineiro.

Mas ainda havia jogo. E quando já parecia sem força, o Náutico conseguiu o empate. Aos 35 minutos, Hugo, que tinha acabado de entrar na vaga de Derley, recebeu na área e bateu de primeira, sem chance para Édson Bastos. E três minutos depois, por muito pouco, o mesmo Hugo não vira a partida. Após novo cruzamento da esquerda, o jogador, sozinho e quase embaixo do travessão, conseguiu chutar por cima.

Mas ainda havia tempo para mais emoção. Positiva dessa vez. Aos 48, no último lance do jogo, após contra-ataque, Hugo chutou, o goleiro defendeu, e no rebote, Maikon leite fez o gol da vitória. Heróica.

Ponte Preta
Edson Bastos; Artur, Ferron, Diego Sacoman e Uendel; Baraka (Leonardo), Alef, Felipe Bastos e Adrianinho (Elias); Rildo (Adaílton) e William. Técnico: Jorginho.

Náutico
Ricardo Berna; Maranhão, João Filipe, Leandro Amaro e Bruno Collaço (Dadá); Elicarlos, Martinez, Derley (Hugo) e Tiago Real (Morales); Maikon Leite e Olivera. Técnico: Marcelo Martelotte.

Local: Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. Árbitro: Antônio Denival de Morais (PR).Assistentes: Luis Cláudio Rodrigues e Marcos Santos Vieira (ambos do AM). Gols: William (45 do 1º) e Hugo (35 do 2º) e Maikon Leite (48 do 2º). Cartões amarelos: Leandro Amaro, Mrtinez, Maranhão(N), Artur, Uendel (P).
 
Do Super Esportes 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker