Página inicial
 
Mural de recados
24.06 |
Soube que a procura de ingressos foi fraca... Que torcida fraca essa do central ...
24.06 | Gustavo
Lembro de quando anunciaram essa parceria com Granada fiz uma pesquisa e vi que ...
24.06 | Kaio SGD
Olha nos desfalque só o que poder atrapalhar é o desfalque de Agenor o resto pod ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
22/09/2013
21h24 | esportes - NÁUTICO
NÁUTICO > Marcelo Martelotte foi apresentado como o novo técnico do timbu
Clique e Confira.

A situação é difícil, todos sabem. O Náutico é o lanterna disparado da Série A- com apenas 10 pontos em mais de 20 jogos. O que leva um treinador a acertar com uma equipe nessas circunstâncias? Segundo Marcelo Martelotte, agora novo treinador do Timbu, o motivo principal é o desafio. "Fiquei muito feliz pelo convite do Náutico. Sei dessa situação do time ,que não é fácil. É um desafio muito grande. E são esses desafios que me movem a trabalhar e aceitar convites como esse do Náutico, que é um time grande e merece estar numa situação melhor que hoje", afirmou o novo comandante alvirrubro.

Ele evitou se colocar como o salvador do time. Esquivou-se também de dizer se era possível ou não sair da zona de rebaixamento ao fim da competição. "A gente tem de pensar jogo a jogo. Pensar, a partir de agora, já no jogo de quarta-feira. Vamos buscar uma evolução que todos os treinadores que passaram aqui buscaram. Hoje já vimos o time jogar de uma forma mais aguerrida, mais competitiva. Isso é mérito de Levi, teve dedo dele nessa mudança.Mas essa equipe tem mais a apresentar. É esse crescimetno que vamos buscar. Se for o bastante para conseguir o número de pontos para fugir da zona de rebaixamento, ótimo. Mas temos de pensar jogo a jogo", declarou.

De acordo com o técnico, o maior trabalho que vai ter é psicológico. "O mais difícil, mas o que nós vamos tentar, é reerguer a moral e a auto-estima desses jogadores. É claro que, nessa situação, quando olha para a tabela, o time realmente se sente diminuído. Mas quando se consegue dois ou três resultados já muda um pouco o jeito de falar e a confiança volta maior", disse. Martelotte indicou, ainda, que deve usar mais jogadores da base. "Vamos só esperar acabar o pernambucano da categoria e alguns deles vão reintegrar o elenco. Eles vão ser mais utilizados, sim", revelou.

Do Blog do Torcedor 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker