Página inicial
 
Mural de recados
24.04 | Paulo
Parabéns ao povo de caruaru pelo reconhecimento do time do carcara que represent ...
24.04 | Beltrão
A vigilância tem que estar alerta, um certo clube da capital, adora oferecer cif ...
24.04 | Centralino
Lembrando a FPF que esse ano vai ser mais difícil roubar do Salgueiro, pois o se ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
18/09/2013
19h07 | esportes - NÁUTICO
NÁUTICO > Ex-técnico, Jorginho diz que timbu não tem elenco de Série A
Clique e Confira.
O técnico Jorginho passou apenas 22 dias no comando do Náutico. Dirigiu a equipe sete vezes, obtendo seis derrotas e apenas uma vitória (pela Copa Sul-Americana, onde acabou sendo eliminado pelo Sport nos pênaltis). E nesta quarta-feira deu o seu veredicto sobre o alvirrubro. Em entrevista ao programa Arena Sportv, o treinador foi taxativo: o Náutico não tem um elenco de Série A.

Sem citar nomes, o treinador evitou criticar mais diretamente os atletas. Porém, reconheceu a fragilidade do atual grupo alvirrubro. “Meu sangue não é frio, é superaquecido. Não consigo viver só perdendo. O Náutico tem bons jogadores, mas não é para essa divisão. Se eu estiver em outra divisão vou querer trabalhar com alguns  deles, mas para uma Série A é preciso muito mais”, analisou Jorginho. “São atletas maravilhosos, que se dedicam pelo clube . Mas a diferença de qualidade para disputar uma Série A é muito grande”, completou.

Jorginho também revelou desconhecimento sobre a situação do Náutico ao aceitar comandar a equipe. Principalmente com relação a busca por reforços. “Quando cheguei ao clube achei que poderia contratar reforços da Série A. Nem eu, nem o presidente (Paulo Wanderley) lembravamos dessa ordem de que não poderia. Aquilo foi a gota d’água. Falei para o presidente que não ia aguentar. Já tinha pedido demissão no quarto jogo, ele não deixou. Quando foi no sexto, falei para ele: 'Não dá, presidente. Ou eu vou matar um ou vou morrer'. E eu não vou ficar aí querendo pegar um pelo pescoço", recordou.
 
Do Super Esportes 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker