Página inicial
 
Mural de recados
24.11 | Kaio
Tbm tem q trazer o Naldinho e Caça Rato e trazer um zagueiro experiente ...
22.11 | CLEO
VERDADE MARCONDES ESSA É A HORA DA MASSA ALVINEGRA AJUDAR O CENTRALZÃO. ...
22.11 | MARCONDES
TODOS UNIDOS PELO CENTRAL, IMPRENSA, DIRETORIA E TORCIDA SÓ ASSIM O CENTRAL VAI ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
21/07/2013
10h30 | esportes - SÉRIE A
SÉRIE A -> Náutico voltou a mostrar fragilidade contra o Botafogo e sofreu a 4ª derrota seguida
A estratégia de garantir o empate no Rio resultou até o intervalo. Mas a retranca alvirrubra foi furada na etapa complementar e o Botafogo venceu por 2 a 0

Do Super Esportes

IDE GOMES/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO
Botafogo foi superior, venceu e agora é líder da Série A; enquanto Náutico segue lanterna
Amargando a lanterna do Brasileirão, com o pior ataque e defesa da competição, o técnico alvirrubro Zé Teodoro resolveu inovar na escalação do Náutico diante do Botafogo. E foram três alterações no time titular. Auremir na lateral direita, Jean Rolt e Elicarlos de volta ao time titular (ambos voltando de longo tempo de lesão) e Jones Carioca no lugar do uruguaio Olivera. Foi assim que o treinador do Timbu escalou seu time, tentando surpreender o Botafogo. Dentro de campo, todavia, o time demonstrou as mesmas deficiências das partidas anteriores e perdeu por 2 a 0. Mais uma derrota na competição, a sexta em oito rodadas. A quarta consecutiva.

Com a proposta de apenas se defender, o Náutico povoou sua intermediária defensiva, a fim de proteger sua área e esperando uma boa oportunidade para encaixar um contra-ataque. Quando tinha a posse de bola, contudo, o time alvirrubro demonstrava muitas dificuldades para se manter com a pelota, não conseguido trocar sequer cinco passes consecutivos. Marcos Vinícius praticamente não aparecia no jogo, enquanto Rogério e Jones Carioca, quando recebiam a bola, falhavam os passes em profundidade que tentavam fazer.

WAGNER MEIER/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO  Crédito WAGNER MEIER
Rogério não teve boa atuação nesta noite
Diante de um adversário que lhe oferecia o campo e a iniciativa, o Botafogo buscava furar a retranca timbu, contando com a qualidade acima da média do holandês Seedorf para circular a bola no meio-campo ofensivo. O clube carioca, entretanto, demonstrava enorme dificuldade para penetrar na área alvirrubra. Apesar do domínio total da posse de bola, o alvinegro era pouco eficaz no último terço de campo e só assustou o goleiro Ricardo Berna em um lance, de escanteio.

Na volta para o segundo tempo, o Náutico tentou imprimir um ritmo diferente à partida. Em três minutos, o Timbu chegou com relativo perigo à área botafoguense em duas ocasiões. Quando parecia que ia começar a gostar da partida, veio o balde de água fria para as pretensões do time de Zé Teodoro. A defesa alvirrubra cometeu um erro de marcação, deixou Elias, que havia entrado ao intervalo no lugar de Vitinho, receber sozinho e bater, dentro da área, para o fundo do gol.

Atrás no marcador e precisando pontuar, os alvirrubros procuraram chegar ao empate. Se no primeiro tempo o time apenas se defendia, na etapa complementar a postura foi outra. Em diversas ocasiões a equipe partia em bloco para a frente. A iniciativa de buscar mais o jogo ofensivo, deixou a partida mais aberta, fazendo com que o segundo tempo fosse mais movimentado. Com o Náutico mais aberto, o Botafogo passou a ter mais espaços e a levar perigo em diversas ocasiões. Chegando ao segundo gol aos 32, por Renato, de cabeça.

Ficha técnica

Botafogo 2
Jefferson; Gilberto (Edílson), Dória, Bolívar e Júlio César; Gabriel, Renato, Lodeiro e Seerdof (Lucas Zen); Vitinho (Elias) e Rafael Marques. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

Náutico 0
Ricardo Berna; Auremir, Jean Rolt, William Alves e Eltinho; Elicarlos (Maranhão), Derley, Rodrigo Souto (Hugo) e Marcos Vinicius; Rogério e Jones Carioca (Olivera). Técnico: Zé Teodoro.

Local: São Januário (Rio de Janeiro-RJ).
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO).
Assistentes: Fabio Pereira (GO) e Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO).
Gols: Elias (B) e Renato (B)
Cartões amarelos: Gilberto (B) e Lodeiro (B); Jones Carioca (N)

 

Público: 6.567

Renda: R$ 147.970,00


.
 
 
 
eXTReMe Tracker