Página inicial
 
Mural de recados
21.09 | MARCONDES
SERÁ Q O CENTRAL FOSSE PEDIR PRA PREFEITA DAR UMA GERAL NO CT, ELA PELO MENOS MA ...
21.09 | VICTOR HUGO
A PREFEITA É D CARUARU, MAS NÃO FAZ NADA PELOS 2 CLUBES CENTRAL E PORTO, ELA DEV ...
21.09 | Paulo alvinegro
É muito engraçado o presidente do central pra conseguir falar com o prefeito de ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
14/08/2017
21h45 | esportes - SANTA CRUZ
SANTA CRUZ - Apresentado pelo clube, atacante Grafite cogita aposentadoria em dezembro
Aos 38 anos, o atacante Grafite está no grupo dos jogadores mais veteranos em atividade no futebol brasileiro. Com longa história na profissão, ele foi apresentado pelo Santa Cruz, clube que defenderá pela quarta vez. Além dos feitos em campo, é torcedor declarado e deixou claro que pretende encerrar a carreira no Arruda. No entanto, a data para isso acontecer vai depender do desempenho até o final desta temporada.
 
- No ano passado eu tinha isso (encerrar a carreira) em mente, mas fiz uma temporada boa, apesar do rebaixamento, e surgiu a oportunidade do Atlético-PR. Acho que se eu conseguir repetir esses quatro meses aqui com bons jogos e fazendo gols, posso pensar numa continuação. Venho refletindo muito e aparecerem alguns projetos, mas a tendência é deixar até o final do ano. Vai depender do desempenho.
 
A volta de Grafite ao Santa acontece sete meses depois de deixar o clube para defender o Atlético-PR, que disputou a Libertadores e está na Série A do Campeonato Brasileiro. Sem sucesso em Curitiba, rescindiu e acabou optando pelo retorno ao Arruda, onde foi muito feliz em 2015, conquistando o acesso para a Série A, e em 2016, com os títulos do Campeonato Pernambucano e da Copa do Nordeste. E para o novo desafio, o ídolo garante ter a mesma motivação de sempre.
 
- Tive um papo com Givanildo e falei que queria ajudar e fazer parte do grupo. Não é porque sou Grafite que vou chegar para ser titular. Se não for, vou estar com a mesma motivação para ajudar. Quem sabe a gente pode voltar a brigar pelo acesso. Temos que ter força.
Grafite começou a treinar na última sexta-feira e tenta correr contra o tempo para entrar em forma para o jogo deste sábado, contra o Guarani. Sem jogar desde o início de julho, o atacante disse que precisaria de 10 dias para entrar em forma. No entanto, a comissão técnica espera relacionar o centroavante para o duelo em Campinas.

Fator determinante para o acerto
O fato de o clube me querer foi determinante. Desde a minha saída do Atlético-PR fui procurado por vários clubes, mas sempre tive o sentimento de voltar para cá. Por conta da maneira que saí, no ano passado, que eu acho que foi normal, sei que ficaram dúvidas sobre isso. Mas quando encontrei os diretores eles falaram, eu falei também e chegamos num acordo. Todos sabem o carinho que tenho pelo clube.
 
Promessa de gols
Não sou muito de prometer gols. No Atlético-PR fiz a besteira de falar isso e fiz um no primeiro jogo. Aí um torcedor falou comigo que só faltava 29. Tinha falado que queria fazer mais do que tinha feito aqui (em 2015). Carlos Alberto até brincou comigo, que eu precisaria de seis anos de contrato para bater a meta. Aqui vou buscar fazer meu trabalho. Não vou querer ser titular só porque sou Grafite. É lógico que quero marcar gols, porque é a minha maior contribuição.
 
Ação contra o Santa
A questão judicial sobre o que ficou do passado foi o primeiro tema que conversamos. Eu abri mão de algumas coisas e o clube também. Está tudo acordado e não terá problema algum.
 
Novo salário
Não acharia justo chegar com o mesmo salário que eu tinha no Atlético-PR. Seria um caso ruim e não seria justo. Abri mão e o clube também. Se não tivesse tido isso, eu não estaria aqui. Nunca pensei no lado financeiro. Vim para ajudar e estou muito feliz pelo acerto.
 
A briga do Santa na Série B
Para pensar no acesso, nós temos que sair dessa zona que estamos. Somos o primeiro time fora do Z-4 e não estamos tão longe da zona do acesso. Não é uma diferença tão grande. Lembro a equipe do Inter, que estava em sétimo ou oitavo, e está em segundo. Primeiro temos que pensar em permanecer na Série B. Aí, com o trabalho bem feito, vamos poder pensar no acesso.
 
Desconfiança de alguns tricolores
A desconfiança por parte da torcida é normal. O meu primeiro semestre não foi bom, mas sei do meu potencial e o que posso acrescentar na equipe. Fiz um gol (no Atlético-PR) e sei que vai ter cobrança. Espero mudar isso jogando bem e marcando gols. Só isso vai mudar o que eles pensam sobre mim.
 
DO GLOBOESPORTE.COM-PE 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker