Página inicial
 
Mural de recados
21.08 | Israelito Almeida
Maravilhosa Graça! De longe fica difícil avaliar, somente com as informações ...
21.08 | MARCOS LEITE
FALAR EM TABELA DA SEGUNDONA VICTOR HUGO, PELA LEI TEM Q DIVULGAR 60 DIAS ANTES ...
21.08 | júnior
já pensou se não tivesse vaidade,e todos se unir-se como seria maravilhoso para ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
09/08/2017
10h19 | esportes - SANTA CRUZ
SANTA CRUZ - Com tempo até próximo jogo, técnico Givanildo Oliveira tem desafios fora e dentro de campo
Serão 10 longos dias no Arruda. Com o Santa Cruz a caminho do Z4 ao fim desta rodada, o período não será tão calmo. Até a próxima partida, diante do Guarani, em Campinas, o técnico Givanildo Oliveira terá muito trabalho para administrar a crise instalada após cinco jogos sem vitória e quatro derrotas consecutivas. Mas no fim do túnel, o comandante coral enxerga algo positivo.

O técnico lembrou que o tempo de treino até o próximo compromisso é algo para se comemorar já que será uma espécie de mini intertemporada. “A maior alegria nossa (treinadores) é quando começa o ano com no mínimo 15 dias de pré-temporada. Nesse momento eu tenho que agradecer por ter esses 10 dias. Quem estiver no DM que volte e tenho que torcer ninguém se machuque”, comentou o treinador após a derrota para o Criciúma.

Sem atletas suspensos e com os que estão no departamento médico perto do retorno, Oliveira espera conseguir dar uma cara ao time. Em 36 dias de trabalho foram nove jogos e o entrosamento não foi obtido como ele esperava pelas trocas constantes. “O Yuri não tinha feito um coletivo e já foi para o jogo. Fiz uma movimentação para ele ter uma ideia. Isso ocorreu com o João Ananias também. São situações que estou tendo que lidar”, lembrou o técnico.

Outra situação que o treinador terá que administrar é a falta de cumprimento dos prazos de pagamento dos salários atrasados. Pela quarta vez desde que o técnico chegou ao clube, a promessa de pagamentos não foi cumprida e a insatisfação dos atletas é clara. Givanildo até revelou que conversou com Jaime e Thiago Primão após postagens em redes sociais que deixaram a direção irritada e afirmou que não falará mais sobre o assunto.

“Esse problema aí (salários atrasados) é um negócio que não dá mais para falar. Vocês sabem da situação. Não tenho que mais falar sobre isso. O que temos que fazer é o nosso lado”.
 
DO SUPER ESPORTES PE 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker