Página inicial
 
Mural de recados
22.11 | MARCONDES
TODOS UNIDOS PELO CENTRAL, IMPRENSA, DIRETORIA E TORCIDA SÓ ASSIM O CENTRAL VAI ...
22.11 | paulo
ESSE BABACA DA PATATIVA DEVE SER TORCEDOR DO SPORTE RECIFE ...
22.11 | CLEO
VERDADE MARCOS LEITE ESSA É A HORA DO VERDADEIRO ALVINEGRO AJUDAR O CENTRALZAO. ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
01/08/2017
18h16 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B - Santa Cruz 1x2 Paysandu - Tricolor saiu na frente do placar no primeiro tempo, mas não segurou o Paysandu e sofreu a virada

A atual fase do Santa Cruz não é algo difícil de se explicar. É só olhar para trás. Nem tão para trás assim. Há aproximadamente um ano, o clube entrou numa crise financeira que parece não ter fim e é indissociável dos resultados em campo. Nesse sentido, a derrota por 2 a 1 para o Paysandu, ontem, na Arena de Pernambuco, entra como o capítulo mais recente. Resultado que complicou ainda mais a situação coral na tabela da Série B. A derrota empurrou o Santa Cruz para a 15ª posição, mais distante do G4, vendo o Z4 se aproximar. 

O futebol apresentado pelos tricolores ontem lembrou que a desorganização interna ecoa em campo. É verdade que o elenco é raso e limitado tecnicamente, mas a sensação é que poderia ser feito algo de melhor se o time estivesse em dia com seus funcionários. Não que exista algum sinal de jogador fazendo corpo mole, mas é evidente que a situação tem atrapalhado o time desde os treinamentos até os jogos. O nível de concentração está claramente comprometido.

Em uma partida que começou sem criatividade alguma, o Santa Cruz permitiu que o Paysandu gostasse do jogo muito cedo. Mesmo sem criar um perigo real ao gol de Julio Cesar, os visitantes mostram-se mais à vontade em campo, mais próximos de abrir o placar do que o Tricolor.

Entre os minutos 22 e 25 o Papão da Curuzu confirmou isso com três boas oportunidades de furar o bloqueio coral. As duas primeiras esbarraram na defesa do Santa Cruz.  A terceira foi uma cobrança de falta, que apesar de ser bastante longe, passou perto da trave de Julio Cesar. A reação veio da arquibancada e não do campo. Os poucos tricolores que foram até São Lourenço incentivar o time começaram a mostrar impaciência com a falta de criação ofensiva da sua equipe.

A criação continuou sendo fraca e baseada em lançamentos para os pontas. Mas a “sorte” apareceu para o Santa Cruz aos 35 minutos. André Luis cruzou buscando Ricardo Bueno. O cabeceio do atacante coral parecia não ter o destino ideal. Porém, a bola desviou na mão de Peri e o árbitro assinalou pênalti. Apesar da pressão sobre um dos assistentes, Pablo dos Santos Alves confirmou a penalidade. Ricardo Bueno cobrou no canto direito, fora do alcance de Emerson.

Segundo tempo

A ida para os vestiários havia sido silenciosa. Nada de vaias ou aplausos. Um sinal de desconfiança da torcida coral. O início do segundo tempo comprovou que ela estava certa. Aos dois minutos do segundo tempo, Alex Travassos dominou a bola com o braço na entrada da área cobrada com perfeição por Airton. Era o empate do Paysandu.

O drama coral ficou ainda maior quando o goleiro Julio Cesar abandonou a área para parar um contra-ataque adversário. Ele derrubou o atacante Magno fora da área. Foi expulso. Givanildo Oliveira foi forçado e tirar Bruno Paulo para colocar Jacsson e ainda sacou Alex Travassos para a entrada de Nininho. A situação deixou os donos da casa atuando como visitantes. Acuado e dependendo apenas dos contra-ataques.

O castigo para tanta inoperância veio no fim da partida, quando ao 41 minutos, Bergson virou a partida e complicou de vez a vida do Santa Cruz na Série B. Agora, Givanildo Oliveira terá que juntar os cacos e tentar recuperar os pontos perdidos contra o Juventude, em Caxias do Sul.

Ficha do Jogo

Santa Cruz
Julio Cesar; Alex Travassos (Nininho, aos 11’ do 2ºT), Anderson Salles, Bruno Silva e Thiago Costa; Derley, João Ananias e Thiago Primão; André Luis (Augusto, aos 28’ do 2ºT), Bruno Paulo (Jacsson, aos 8’ do 2ºT) e Ricardo Bueno. Técnico: Givanildo Oliveira.

Paysandu
Emerson; Ayrton, Perema, Gualberto e Perí; Nando Carandina (Wellinton Junior, aos 33’ do 2ºT), Renato Augusto e Rodrigo; Magno (Fábio, aos 31’ do 2ºT), Bergson e Anselmo. Técnico: Marquinhos Santos. 

Estádio: Arena de Pernambuco, em São Lourenço da Mata
Árbitro: Pablo dos Santos Alves (PB)
Assistentes: Oberto da Silva Santos (PB) e Kildenn Tadeu Morais de Lucena (PB)
Gols: Ricardo Bueno (aos 37’ do 1ºT) (S); Airton (aos 2’ do 2ºT) e Bergson (aos 41’ do 2ºT) (P)
Cartões amarelos: Alex Travassos, Bruno Silva, Derley e Nininho(S); Peri, Nando Carandina, Magno, Bergson, Fabio e Wellinton Junior(P)
Expulsão: Julio Cesar (S)
Público: 3.063
Renda: R$30.030,00
 
DO SUPER ESPORTES PE 

...
 
 
 
eXTReMe Tracker