Página inicial
 
Mural de recados
19.10 | Antonio do Salgado
Respondento a Paulo. Meu chefe a diretoria é nova no clube, mais os funcionár ...
18.10 | MARCOS LEITE
É VERDADE PAULO RICARDO, DIRETORIA VAI ARRUMAR A KSA, ISSO NÃO PODE SER FEITO DA ...
18.10 | Paulo R
! Antônio, amigo a nova diretoria só faz 15 dias que assumiu o club e vc pergunt ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
10/12/2016
21h01 | esportes - SÉRIE A
SÉRIE A - São Paulo 5x0 Santa Cruz
Na despedida do Santa Cruz da elite nacional, o time coral amargou o resultado que mais se acostumou ao longo da Série A: derrota. Foi a 23ª em 38 partidas disputadas. Neste domingo, no Pacaembu, o Tricolor Pernambucano enfrentou o São Paulo pela última rodada e foi goleado por 5 a 0. Quase sem jogadores para relacionar, o interino Adriano Teixeira precisou recorrer a peças das categorias de base para montar a escalação e compor a delegação. A equipe não correspondeu em campo e foi massacrada. Sofreu dois gols no primeiro tempo. Mesmo com um homem a mais no segundo, o Mais Querido não conseguiu reagir e acabou sendo vazado mais três vezes. 

  • Embora com contratos devidamente aditivados para poderem atuar no Pacaembu, Léo Moura e Bruno Moraes não estiveram com o elenco coral nos dias de preparação para o jogo. Mas, de última hora, acabaram se reintegrando ao grupo a pedidos da diretoria, iniciaram entre os titulares e deram mais um toque de experiência a um time que começou a partida com quatro atletas pratas da casa, sendo um estreante: o goleiro Miller.  

    Com mais de um terço do elenco liberado, sem as suas principais lideranças e rebaixado matematicamente há quase um mês, a equipe pernambucana não tinha pretensões de tabela para esta última rodada do Brasileiro. Assim como o São Paulo, já garantido na próxima Copa Sul-Americana. Naturalmente, o clima para jogar futebol era pequeno. Muito também devido à recente tragédia que com o avião da Chapecoense, na Colômbia.

    Homenagens dos dois tricolores não faltaram às vítimas. Dos torcedores aos atletas. Pela primeira vez na história, o Santa jogou de verde em referência à equipe catarinense, utilizando a sua quarta opção de uniforme. A equipe paulista também usou camisas especiais, pretas. Apesar de todo o ambiente de luto no Pacaembu, o São Paulo não se furtou em partir para cima do desfigurado time coral a partir do momento que a bola rolou. Bastaram 59 segundos para David Neres abrir o placar. Os comandados de Adriano apenas assistiram à jogada no lado esquerdo do campo, que passou pelos pés de Buffarini, Cueva e Chavez antes da finalização.

    O São Paulo mandava na partida. Um chute para fora dado por Bruno Moraes na pequena área, aos 18 minutos, foi a melhor chance do Santa Cruz no primeiro tempo. Um segundo gol dos mandantes era iminente. Aos 30, o ex-coral Gilberto chutou de longe e surpreendeu Miller: 2 a 0. Por respeito ao Mais Querido, onde foi revelado, não quis comemorar. No último lance da etapa inicial, Cueva foi expulso por simulação de um pênalti. A vantagem numérica não foi aproveitada pelos visitantes no segundo tempo. Pelo contrário. As redes corais voltaram a ser balançadas.

    Outros dois pratas da casa foram acionados no Santa passado o intervalo: João Vitor e Léo, ambos também estreantes entre os profissionais. O intuito das entradas era que o time tivesse mais poderio ofensivo. Espaços acabaram sendo deixados na defesa, porém. Chavez fez o terceiro após contra-ataque, aos 12 da etapa final. Aos 27, ele fez outro. Luiz Araújo marcou o quarto, dez minutos depois. A superioridade são-paulina era evidente. Caberiam mais gols. Diante da inoperância dos pernambucanos, Pintado promoveu até uma substituição de goleiro.

     

    Ficha do jogo

    São Paulo
    Denis (Léo); Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Buffarini; João Schmidt, Thiago Mendes e Cueva; David Neres, Gilberto (Luiz Araújo) e Chavez (Wellington). Técnico: Pintado (interino).

    Santa Cruz
    Miller; Vitor, Walter Guimarães, Luan Peres e Roberto; Derley, Marcílio (João Vitor), Renatinho (Léo) e Léo Moura; Arthur e Bruno Moraes. Técnico: Adriano Teixeira (interino).

    Local: Pacaembu (São Paulo-SP). Árbitro: Paulo Schleich Vollkopf-MS. Assistentes: Cícero Alessandro de Souza-MS e Daiane Caroline Muniz dos Santos-MS. Gols: David Neres (a 1’ do 1T, São Paulo), Gilberto (aos 30’ do 1T, São Paulo), Chaves (aos 12’ e aos 27’ do 2T, São Paulo), Luiz Araújo (aos 37’ do 2T). Cartões amarelos: Cueva, Chavez (São Paulo); Derley (Santa Cruz). Cartão vermelho:Cueva (São Paulo). Público pagante: 16.553. Renda: R$ 354.439,00

Embora com contratos devidamente aditivados para poderem atuar no Pacaembu, Léo Moura e Bruno Moraes não estiveram com o elenco coral nos dias de preparação para o jogo. Mas, de última hora, acabaram se reintegrando ao grupo a pedidos da diretoria, iniciaram entre os titulares e deram mais um toque de experiência a um time que começou a partida com quatro atletas pratas da casa, sendo um estreante: o goleiro Miller.  

Com mais de um terço do elenco liberado, sem as suas principais lideranças e rebaixado matematicamente há quase um mês, a equipe pernambucana não tinha pretensões de tabela para esta última rodada do Brasileiro. Assim como o São Paulo, já garantido na próxima Copa Sul-Americana. Naturalmente, o clima para jogar futebol era pequeno. Muito também devido à recente tragédia que com o avião da Chapecoense, na Colômbia.

Homenagens dos dois tricolores não faltaram às vítimas. Dos torcedores aos atletas. Pela primeira vez na história, o Santa jogou de verde em referência à equipe catarinense, utilizando a sua quarta opção de uniforme. A equipe paulista também usou camisas especiais, pretas. Apesar de todo o ambiente de luto no Pacaembu, o São Paulo não se furtou em partir para cima do desfigurado time coral a partir do momento que a bola rolou. Bastaram 59 segundos para David Neres abrir o placar. Os comandados de Adriano apenas assistiram à jogada no lado esquerdo do campo, que passou pelos pés de Buffarini, Cueva e Chavez antes da finalização.

O São Paulo mandava na partida. Um chute para fora dado por Bruno Moraes na pequena área, aos 18 minutos, foi a melhor chance do Santa Cruz no primeiro tempo. Um segundo gol dos mandantes era iminente. Aos 30, o ex-coral Gilberto chutou de longe e surpreendeu Miller: 2 a 0. Por respeito ao Mais Querido, onde foi revelado, não quis comemorar. No último lance da etapa inicial, Cueva foi expulso por simulação de um pênalti. A vantagem numérica não foi aproveitada pelos visitantes no segundo tempo. Pelo contrário. As redes corais voltaram a ser balançadas.

Outros dois pratas da casa foram acionados no Santa passado o intervalo: João Vitor e Léo, ambos também estreantes entre os profissionais. O intuito das entradas era que o time tivesse mais poderio ofensivo. Espaços acabaram sendo deixados na defesa, porém. Chavez fez o terceiro após contra-ataque, aos 12 da etapa final. Aos 27, ele fez outro. Luiz Araújo marcou o quarto, dez minutos depois. A superioridade são-paulina era evidente. Caberiam mais gols. Diante da inoperância dos pernambucanos, Pintado promoveu até uma substituição de goleiro.

 

Ficha do jogo

São Paulo
Denis (Léo); Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Buffarini; João Schmidt, Thiago Mendes e Cueva; David Neres, Gilberto (Luiz Araújo) e Chavez (Wellington). Técnico: Pintado (interino).

Santa Cruz
Miller; Vitor, Walter Guimarães, Luan Peres e Roberto; Derley, Marcílio (João Vitor), Renatinho (Léo) e Léo Moura; Arthur e Bruno Moraes. Técnico: Adriano Teixeira (interino).

Local: Pacaembu (São Paulo-SP). Árbitro: Paulo Schleich Vollkopf-MS. Assistentes: Cícero Alessandro de Souza-MS e Daiane Caroline Muniz dos Santos-MS. Gols: David Neres (a 1’ do 1T, São Paulo), Gilberto (aos 30’ do 1T, São Paulo), Chaves (aos 12’ e aos 27’ do 2T, São Paulo), Luiz Araújo (aos 37’ do 2T). Cartões amarelos: Cueva, Chavez (São Paulo); Derley (Santa Cruz). Cartão vermelho:Cueva (São Paulo). Público pagante: 16.553. Renda: R$ 354.439,00


Do Super Esportes
 
 
 
eXTReMe Tracker