Página inicial
 
Mural de recados
27.06 | Israelito Almeida
Maravilhosa Graça! Viramos de forma Melancólica e Triste a última página do Fu ...
27.06 | Davi
Concordo plena com o leitor \"a verdade nua e crua\"um dos motivos pelo qual os ...
27.06 | joel gomes
Acho o central deve investi nas categorias de base .também vender esse campo e ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
28/09/2016
07h38 | esportes - COPA SUL-AMERICANA
COPA SUL-AMERICANA - Santa Cruz 3x1 Independiente Medellín - Mesmo com a Vitória, Tricolor é eliminado
O Santa Cruz teve nas mãos a classificação às quartas de final da Copa Sul-Americana na noite desta quarta-feira, no Arruda. Com três gols de um inspirado Grafite, que terminou com o seu “jejum”, o Tricolor conseguiu abrir vantagem por 3 a 0 sobre o Independiente Medellín, aos 25 minutos do segundo tempo. Resultado que o colocaria na próxima etapa do torneio após a derrota por 2 a 0 no duelo de dia, na Colômbia. Seis minutos depois, contudo, veio o golpe. Ibarguen diminuiu e colocou os estrangeiros na etapa seguinte da competição. Mais um enredo melancólico e frustrante para time coral neste fim de temporada. Resta agora se salvar de um cada vez mais concreto rebaixamento à Segunda Divisão.

Diferentemente do duelo de ida, Doriva se utilizou de “força máxima” naquela que considera a sua equipe ideal. O comandante esperava o Santa Cruz exercendo pressão no adversário desde os primeiros instantes da partida e viu um Tricolor, realmente, com mais posse de bola e volume de jogo. Furar a retaguarda colombiana, entretanto, não era tarefa simples de início. Por isso, uma falta acabou sendo providencial para o time pernambucano abrir o placar. João Paulo achou Grafite. De cabeça, aos 13 minutos, o veterano encerrou a seca de 15 jogos sem balançar as redes, que durava mais de três meses e o fazia encarar a sua pior fase na carreira. Fim de um peso gigante. 

O camisa 23 poderia ter feito outro em seguida não fosse Mosquera para salvar o gol em cima da linha. Mas ainda faria o segundo. Estava inspirado. O argentino Matías Pisano, também com alto rendimento, o serviu aos 30. Em mais uma testada, o experiente atacante ampliou a contagem a favor dos mandantes: 2 a 0. O resultado já levaria o confronto para as penalidades máximas.

Defensivamente, por outro lado, o Santa permitia contra-ataques do Independiente. O goleiro Edson Kölln, que relegou pela primeira vez o ídolo Tiago Cardoso ao banco de reservas, chegou a evitar, logo após o primeiro gol coral, o empate da equipe estrangeira ao defender bola chutada por Caicedo que lhe encobriria. Foi a melhor chance colombiana no primeiro tempo. A partida ficou quente no fim da etapa. Retrato de um time que começava a ver a vaga às quartas se aproximando e de outro que não imaginava perder a vantagem construída em casa tão cedo.

O Santa Cruz retornou do intervalo mais desacelerado. Marasmo justificado pela diminuição da necessidade de correr atrás do placar e não se cansar para o fim da partida. Embora não quisesse levar o jogo para pênaltis, o ritmo menos intenso contribuiu também para algumas investidas do Independiente. A melhor chance coral no segundo tempo foi aos 23. Jádson tentou tirar do goleiro batendo cruzado, porém chutou para fora. Grafite é quem estava com a estrela. Aos 25, recebeu de Keno e fez o seu “hat-trick”. Que noite. Tanta luta não adiantou nada. Seis minutos depois, Kölln falhou na saída (erro que justificou a saída de Tiago Cardoso) e permitiu o gol de Ibarguen. Mais um sofrido nos instantes finais. Tentou-se ainda o quarto, que levaria à classificação. Mazinho perdeu cara a cara. O abatimento já parecia ter tomado conta dos tricolores.

Santa Cruz
Edson Kölln; Léo Moura, Neris, Danny Morais e Allan Vieira (Jádson); Derley (Bruno Moraes), Uillian Correia, João Paulo, Pisano (Mazinho) e Keno; Grafite. Técnico: Doriva.

Independiente Medellín
González; Piedrahita (Marrugo), Mosquera, Arias (Ibarguen) e Juan Valencia; Cabezas (Hechalar), Moreno, Luis Carlos Arias e Córdoba; Molina e Caicedo. Técnico: Leonel Álvarez.

Estádio: Arruda (Recife-PE). Árbitro: José Argote (Venezuela). Assistentes: Luis Sanchez e Francheskoly Chacon (ambos da Venezuela). Gols: 13’ do 1T (Grafite, Santa Cruz), 30’ do 1T (Grafite) e 25’ do 2T (Grafite) e 31’ do 2T (Ibarguen, DIM).Cartões amarelos: Piedrahita, Arias (Independiente Medellín). Público: 5.474. Renda: R$ 67.335,00
 
DO SUPER ESPORTES PE 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker