Página inicial
 
Mural de recados
23.06 | Antonio
Olha a quantidade de possíveis desfalques que o Central pode ter no jogo, é muit ...
23.06 | Danilo
http://sportv.globo.com/site/programas/ta-na-area/noticia/2017/06/empresario-ilu ...
23.06 | Duda
Eu acredito!!! Vamos meu Central, vamos sair dessa série D. Lícius tem feito o p ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
18/09/2016
08h42 | esportes - SÉRIE A 2016
SÉRIE A - Santos 3x2 Santa Cruz
No Pacaembu não foi o Santos ou o Santa Cruz que ditou o ritmo da partida. Foi a chuva que decidiu como as equipes jogariam na vitória santista por 3 a 2. A partida foi impedida de continuar duas vezes por conta da falta energia e fez com que os times invertessem seus momentos justamente quando o estádio ficou às escuras. O problema é que o primeiro gol da partida ocorreu muito cedo e isso foi fundamental para que o Tricolor do Arruda saísse de São Paulo sem ao menos com um ponto na bagagem, que agora segue caminho para Medelín, onde joga na quarta-feira pela Copa Sul-Americana. 

Não deu nem tempo dos atletas se ambientarem ao estádio ou transpirar. Com menos de cinco minutos o Santa Cruz já perdia por 1 a 0. Copete não desperdiçou a chance dada pela lambança criada pela defesa coral. Em um misto de indecisão do goleiro Tiago Cardoso com um corte errado da defesa, o colombiano empurrou a bola para o fundo do gol com tranquilidade. 

A postura coral foi de tentar investidas pelo lado esquerdo aproveitando a velocidade de Keno. O problema, para o Santa Cruz, é que o futebol é um esporte coletivo. Quando o camisa 11 precisava passar a bola, o que poderia ser uma boa jogada se transformava em um passe errado ou em um fácil desarme do Santos. 

Por outro lado, os mandantes também não iam bem. Para a qualidade do meio de campo e do elenco, o Peixe exagerava na pressa para encontrar o segundo gol. Ou parava em algum impedimento ou era muito detalhista no último passe. Por isso Tiago Cardoso não teve sua meta vazada outra vez na primeira etapa. 

O segundo tempo começou com um atraso de 25 minutos. Isso porque o temporal que castiga a capital paulista causou queda de energia na região. A primeira mudança de domínio na partida. O técnico Dorival Junior falou no intervalo que a partida estava estranha e parecia temer alguma reação coral. Adivinhou. Aos dez minutos da segunda etapa, em jogada que começou com Pisano, passou por Leo Moura e, após erro da defesa santista, caiu no pé de Keno, que deu um curto drible e chutou no canto de Vanderlei. 

O gol empolgou o Santa Cruz. O time foi para cima e em uma finalização de Pisano após boa jogada com Bruno Moraes levou perigo a Vanderlei. O problema é que a chuva apareceu novamente. Paralisou a partida por mais 18 minutos e neste tempo se cogitou terminar a partida no dia seguinte. Porém, como os tricolores tinham voo marcado para Medelín na madrugada desta segunda-feira, isto não era uma opção.

Quando a bola voltou a rolar, o Santa Cruz estava diferente. Doriva fez todas as substituições, mas não surtiu o efeito esperado. O Santos não tinha esse tropeço na sua conta e foi para cima do Tricolor. Após uma falha de Derley, aos 25 minutos da segunda etapa, Ricardo Oliveira recebeu dentro da grande área e ajeitou para Jean Mota fuzilar as redes de Tiago Cardoso. 

O que parecia perdido mudou em um milagre do camisa 1 do Santa Cruz. Após defesa fantástica do Paredão do Arruda, Pisano lançou Keno, que deu um drible fantástico, encontrou Grafite e recebeu de volta livre dentro da área. Empatou o jogo e parecia encaminhar um empate memorável. Porém, no primeiro ataque após o gol coral, Victor Bueno acertou um chute indefensável e deu números finais ao jogo. 

FICHA DO JOGO
 
Santos
Vanderlei, Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zeca; Renato, Thiago Maia (Jean Mota, aos 18’ do 2ºT), Lucas Lima (Yuri, aos 42’ do 2ºT) e Vitor Bueno; Jonathan Copete e Ricardo Oliveira (Rodrigão, aos 34’ do 2ºT). Técnico: Dorival Júnior.

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Léo Moura, Neris, Danny Morais e Allan Vieira (Luan Peres, aos 5’ do 2ºT); Derley, Jádson (Wellington Cézar, aos 20’ do 2ºT), João Paulo, Pisano e Keno; Bruno Moraes (Grafite, aos 24’ do 2ºT). Técnico: Doriva.

Data: 18/9/16
Estádio: Pacaembu (São Paulo-SP). 
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL). 
Assistentes: Pedro Jorge Santos de Araújo (AL) e Rondinelle dos Santos Tavares (AL). 
Gols: Copete (aos 5’ do 1ºT), Jean Mota (aos 25’ do 2ºT) e Victor Bueno (aos 41’ do 2ºT) (SAN); Keno (aos 10’ e 39’ do 2ºT) (STA)
Cartões amarelos: Luiz Felipe (SAN); Wellington Cézar (STA)
Público: 28.763
Renda: R$884.560
 
DO SUPER ESPORTES PE 

...
 
 
 
eXTReMe Tracker