Página inicial
 
Mural de recados
26.05 | marcelo
Concordo plenamente com voce paulo esses reporteres das radios de caruaru sao do ...
26.05 | Davi
Infelizmente o editor desse blog não publicou meu comentário, so sei de uma cois ...
26.05 | Patativa
É verdade Paulo alvinegro excelente o seu comentário você estar de parabéns. ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
07/09/2016
08h51 | esportes - SÉRIE A 2016
SÉRIE A - Santa Cruz 2x2 Chapecoense - Resultado na Arena de Pernambuco deixa situação coral ainda mais difícil no Brasileiro
Não faltou luta ao Santa Cruz. E até por conta disso o empate por 2 a 2 nesta quarta-feira, na Arena de Pernambuco, contra a Chapecoense, teve um sabor tão amargo para os corais. Após sair atrás do marcador, o tricolor, com um jogador a menos em campo, teve forças para virar a partida. Mas não para segurar a vitória. No final, aplausos por parte da torcida, que, no entanto, não minimizam a situação critica do time na classificação do Campeonato Brasileiro. Com apenas 20 pontos, o tricolor segue encravado na vice lanterna e vendo a cada rodada a fuga do rebaixamento se transformar em um milagre.

Sem poder contar com o volante Derley e o atacante Keno, ambos suspensos, o técnico Doriva não inventou na escalação, optando por Jádson e Arthur como os respectivos substitutos. Inclusive, com ambos fazendo as mesmas funções dos desfalques, com Arthur se movimentando e dando opção de ataque pelas pontas e Jádson dando o primeiro combate na marcação, ainda na saída de bola catarinense. 

Ocupando bem o meio de campo, os corais dificultavam a saída de bola da equipe catarinense, ao mesmo tempo que preenchia o campo de defesa do adversário. E assim, pressionaram e foram melhores em campo na maior parte do primeiro tempo. Faltava ao Santa um maior poder de definição. Porém, seria pelo lado esquerdo, principal via de ataque tricolor, que veio o erro capital tricolor.

Aos 27 minutos, após Allan Vieira e João Paulo não de entenderem em uma cobrança de lateral, a bola sobrou para o meia Gil que avançou e tocou para Kempes, driblar Tiago Cardoso e abrir o placar, no primeiro ataque da Chapecoense.

O gol foi devastador para o Santa, que pela situação complicada na tabela sentiu mais do que deveria e se perdeu em campo, com o nervosismo turbinando os erros de passes. Assim, a Chapecoense, que até então apostava apenas em contra-ataques, terminou a etapa melhor. Tendo inclusive chance para ampliar antes da descida para o vestiário. 

Segundo tempo
No retorno para a etapa final, Doriva apostou apenas na conversa nos vestiários e voltou com o mesmo time. E o time voltou exercendo uma pressão ainda maior do que no primeiro tempo, ao ponto de criar duas ótimas chances de empatar nos seis minutos iniciais. Ambas com João Paulo, obrigando o goleiro Danilo a fazer excelente defesa em uma delas.

Para melhorar o poder de finalização e fazer valer a pressão do Santa, o técnico Doriva resolveu substituir Grafite, em uma má fase que parece sem fim, para a entrada de Bruno Moraes, herói da classificação na Sul-Americana, sobre o Sport. Mas antes da mudança ser efetuada, a justiça foi feita no placar. Após cruzamento de Léo Moura, Arthur, de cabeça, mandou sem defesa para Danilo, empatando e incendiando a partida aos 11 minutos

Dois minutos depois do gol, o zagueiro Luan Peres recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Porém, o que poderia indicar um novo baque para o tricolor não chegou a ser sentido. Com um jogador a menos, a virada sairia aos 18, com um iluminado Bruno Moraes, que após receber lançamento de João Paulo, ajeitou e bateu, sem chance de defesa.

Com a vantagem no marcador e a desvantagem numérica de jogadores em campo, Doriva fechou o time, trocando os ofensivos Pisano e Arthur pelo volante Danilo Pires e o zagueiro Wellington Silva. Era a hora do time, que tanto atacou, se defender. Mas ai, veio o segundo erro capital dos corais no jogo, com Danilo Pires cometendo pênalti em Kempes. O experiente Bruno Rangel cobrou com categoria e sacramentou o amargo empate do Santa na Arena.

Ficha do jogo

Santa Cruz 2
Tiago Cardoso; Léo Moura, Danny Morais, Luan Peres e Allan Vieira; Jádson, Uillian Correia, Arthur (Wellington Silva), João Paulo e Pisano (Danilo Pires); Grafite (Bruno Moraes). Técnico: Doriva.

Chapecoense 2
Danilo; Gimenez (Sérgio Manoel), Willian Thiego, Felipe Machado e Dener Assunção; Josimar, Gil (Bruno Rangel), Cléber Santana e Arthur Maia; Lucas Gomes e Kempes. Técnico: Caio Júnior.

Local: Arena de Pernambuco. Árbitro: Savio Pereira Sampaio (DF). Assistentes: Lehi Sousa Silva e Lucas Torquato Guerra (ambos do DF). Gols: Kempes (aos 27 min do 1º) e Arthur (112 min do 2º) e Bruno Moraes (18 min do 2º) e Bruno Rangel (41 min do 2º). Cartões amarelos: Ananias, Arthur Maia (C ), Jádson, Danilo Pires (SC). Expulsão: Luan Peres (SC). Público: 12.265. Renda: R$ 230.510
 
DO SUPER ESPORTES PE 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker