Página inicial
 
Mural de recados
18.11 | Paulo alvinegro
Era o ano pra um time do interior chegar lá com o rebaixamento dos três da capit ...
18.11 | MARCONDES
´PELA PRIMEIRA VEZ NA HISTORIA DO FUTEBOL PE. 3 GRANDES CAIRAM, A COMEÇAR PELO M ...
17.11 | CLEO
VERDADE VICTOR HUGO O REINADO DOS TRÊS DA CAPITAL ACABOU,COMO DIZ O DITADO FIZER ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
28/08/2016
22h06 | esportes - SÉRIE A 2016
SÉRIE A - Cruzeiro 2x0 Santa Cruz - Tricolor acumula sétimo jogo sem vitória no campeonato

 

Jogadores do Cruzeiro contra o Santa Cruz (Foto: Washington Alves/Light Press) (Foto: Washington Alves/Light Press)

 

A Santa Cruz pagou caro o preço por não ter “matado” o jogo no primeiro tempo, quando foi melhor que o Cruzeiro. Logo no início do segundo, o Tricolor falhou duas vezes o permitiu a Raposa fazer os gols que decretaram a derrota coral por 2 a 0 na manhã deste domingo, no Mineirão. Diante de um adversário que, embora em ascensão na Série A, era o pior mandante do campeonato, a equipe pernambucana acumulou a sétima partida sem ganhar no Brasileiro. Segue na sua pior sequência na temporada e o técnico Doriva, há três jogos no comando tricolor, não tem sido capaz de fazer o time reagir e reencontrar as vitórias.

A fim de dar “liga” ao time, Doriva repetiu a mesma escalação pela primeira vez em sua terceira partida no comando do Santa, que, conforme preza o treinador, teve maior posse de bola no primeiro tempo e as melhores chances de abrir o placar. Sem encontrar muito espaço para trocar passes e chegar à barra mineira, a primeira jogada saiu de uma bola em profundidade de João Paulo para Grafite. Dentro da grande área, o camisa 23, no entanto, teve o seu gol impedido pelo goleiro Rafael e completou agora dez partidas seguidas no ano sem balançar as redes, na sua maior “seca” no clube. 

 

 O Santa chegou a sofrer uma pressão no começo do confronto contra o Cruzeiro, empurrado, aliás, por mais de 40 mil torcedores no Mineirão. Mas, pouco a pouco, o time pernambucano foi começando a chegar ao campo de ataque com bem mais desenvoltura que nos minutos iniciais. Um cruzamento de Allan Vieira, desviado de cabeça por Grafite, sobrou para Léo Moura, que acertou o travessão cruzeirense. 


Os mandantes poderiam ter inaugurado a contagem com Rafael Sóbis, logo na sequência. Oportunidade pontual do Cruzeiro. Descompactada, a Raposa não conseguia furar um sólido sistema defensivo coral, que teve o destaque para o zagueiro Danny Morais na etapa inicial do duelo. Ele, por muitas vezes, ainda era capaz de corrigir falhas pontuais do seu colega de posição, Luan Peres.     

Gols no início do segundo tempo
O que o Santa fez nos 47 minutos iniciais não fez nos sete primeiros do segundo tempo. Aos três, o mesmo Luan Peres cortou uma bola errada para o meio e desta vez não teve como Danny consertar. Sobrou nos pés de Robinho. À longa distância, o cruzeirense chutou, a bola bateu na trave e entrou, sem chances para Tiago Cardoso: 1 a 0. Aos sete, enquanto Léo Moura parou para reclamar com a arbitragem, a equipe mineira cobrou um lateral rapidamente e pegou a defesa do Santa desguarnecida. Depois de passe de Arrascaeta, Ábila só teve o trabalho de escorar a bola para dentro da barra. Doriva tentou o que pôde para reverter a situação. Acionou dois atacantes (Wallyson e Marion) no lugar de duas peças do meio-campo (Derley e Pisano), mas as trocas não surtiram o efeito esperado. Wallyson ainda teve chances de fazer um gol de falta e outro de cabeça, ambas defendidas por Rafael.

Cruzeiro
Rafael; Lucas, Manoel, Bruno Rodrigo e Edimar; Lucas Romero (Denílson), Ariel Cabral e Robinho; Rafael Sóbis, Arrascaeta e Ábila (Willian). Técnico: Mano Menezes.

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Léo Moura, Luan Peres, Danny Morais e Allan Vieira; Derley (Wallyson), Uillian Correia (Danilo Pires) e João Paulo; Pisano (Marion) e Keno; Grafite. Técnico: Doriva.

Local: Mineirão (Belo Horizonte-MG). Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-SC). Assistentes: Nadine Schramm Câmara Bastos (Fifa-SC) e Hélton Nunes (SC). Gols: Robinho (3’ do 2T, Cruzeiro); Ábila (7’ do 2T, Cruzeiro). Cartões amarelos:Lucas Romero e Ariel Cabral (Cruzeiro); Derley, Uillian Correia e Keno (Santa Cruz). Público: 49.028. Renda: R$ 1.445.435,00.
 
DO SUPER ESPORTES PE 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker