Página inicial
 
Mural de recados
21.08 | Israelito Almeida
Maravilhosa Graça! De longe fica difícil avaliar, somente com as informações ...
21.08 | MARCOS LEITE
FALAR EM TABELA DA SEGUNDONA VICTOR HUGO, PELA LEI TEM Q DIVULGAR 60 DIAS ANTES ...
21.08 | júnior
já pensou se não tivesse vaidade,e todos se unir-se como seria maravilhoso para ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
06/08/2016
13h36 | esportes - SANTA CRUZ
Milton Mendes não é mais o técnico do Santa Cruz
SANTA CRUZ

Milton Mendes Santa Cruz (Foto: Marlon Costa/ Pernambuco Press)Milton Mendes é passado no Santa Cruz (Foto: Marlon Costa/ Pernambuco Press)

É o fim de um ciclo. O técnico Milton Mendes não faz mais parte do Santa Cruz. O treinador, que não fez uma boa campanha com o Tricolor na Série A do Campeonato Brasileiro - é o 19º colocado com 18 pontos -, pediu demissão. A decisão foi tomada após a derrota por 2 a 1 para o São Paulo, no último domingo, no Arruda. A diretoria tentou segurá-lo no cargo, mas Milton não foi demovido da ideia. O clube, agora, segue em busca de outro treinador.

Milton Mendes deixa o Santa Cruz com 46,87% de aproveitamento. Campeão da Copa do Nordeste - a primeira da história do clube - e do Campeonato Pernambucano, o treinador acumulou ao longo da passagem pelo Arruda 12 vitórias, nove empates e 11 derrotas, em 32 jogos.

Milton Mendes chegou ao Arruda, no fim de março, para substituir Marcelo Martelotte. Com um discurso diferente e respaldado por ser um dos únicos do Brasil a ter os quatro níveis do UEFA Pro - certificado concedido a técnicos europeus -, logo implementou um estilo de jogo. Esteve perto de desistir do convite ao assistir Santa Cruz x América-PE, empate sem gols pelo Campeonato Pernambucano. Mas aceitou e, em pouco tempo, sobressaiu. Principalmente nos matas-matas, que culminaram nos títulos do Nordestão e Pernambucano.

O problema era fora de campo. A reportagem do GloboEsporte.com ouviu, durante a trajetória de Mendes, funcionários do clube, jogadores, membros da diretoria. Os relatos era de clima pesado gerado pelo treinador, que esteve ao lado da direção com intuito de melhorar a estrutura do clube.O treinador se mostrou várias vezes incomodado por trabalhar e jogar no Arruda, desgastando o gramado. Pediu à direção uma melhora nisso, mas viu de perto o sacrifício pela falta de dinheiro no clube. Segundo ele, as condições de treino eram poucas.

Grafite Santa Cruz (Foto: Marlon Costa/ Pernambuco Press)Grafite diz ter sido lançado sem condições em campo por conta de Mendes (Foto: Marlon Costa/ Pernambuco Press)

Alguns jogadores tiveram problemas de relacionamento com Milton. Discussões mais acaloradas eram vistas como "normais" para o ambiente do futebol. Algumas delas, no entanto, chegaram a surpreender quem frequentava o ambiente. Pouco a pouco, perdeu até os líderes - os oito capitães que elegeu ao chegar e com os quais fazia o rodízio com a braçadeira.

Houve rispidez com funcionários do clube. O temperamento explosivo de Milton surpreendia. Às vezes, por atrasos ínfimos. Certa vez, um roupeiro entregou o material com demora quase imperceptível. Uma postura enérgica, acima do tom, foi tomada. Com outros a mesma coisa. Isso foi minando o ambiente do treinador. 

Alguns relatos falavam de clima dos mais pesados dos últimos anos. Milton Mendes era rígido, tinha postura militar. Atletas se queixavam da falta de tato quando se exigia o esforço físico dos jogadores. O atacante Grafite revelou que atuou algumas vezes "no sacrifício", após conversas com o comandante. O treinador confirmou as palavras do ídolo coral. O zagueiro Neris, por exemplo, atuou sem completar a transição física na derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR.

algumas contratações foram fechadas mesmo contestadas por grande parte da torcida, como o lateral-direito Mário Sérgio, o lateral-esquerdo Roberto e o meia Marcinho, que tiveram poucas oportunidades no time. Todos foram atletas de Mendes em outros clubes.

Mendes tentava trazer jogadores para o Santa Cruz. Atletas renomados, para ele, mas muitos recusaram o convite. Mesmo assim, não abandonou a postura de trazer, pelo menos, quem ele conhecia. Assim, algumas contratações foram fechadas, mesmo contestadas por grande parte da torcida, como o lateral-direito Mário Sérgio, o lateral-esquerdo Roberto e o meia Marcinho, que tiveram poucas oportunidades. Todos foram atletas de Mendes em outros clubes.

Incomodado com a falta de qualificação no elenco, Milton Mendes chegou a citar defeitos dos atletas a jornalistas em conversas extracampo. Quase ninguém passava impune às críticas.

Não foram poucas as vezes que Milton Mendes relatou falta de atenção ou de qualidade de jogadores para repórteres com quem nem sequer tinha proximidade. Em entrevistas oficiais, por outro lado, deixava claro que nunca iria expor atletas.

Milton Mendes Santa Cruz (Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press)Convivência de Mendes com alguns atletas era difícil (Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press)

- Assumo responsabilidade, deixo o cargo, mas não vou falar mal de ninguém. É minha postura como líder, como um gestor, e como um pai de família. Peço desculpas se vocês quisessem que eu apontasse o dedo para alguém, mas não vou fazer isso. O clube está mudando uma série de paradigmas e avançando em situações - disse, ao fim do jogo contra o São Paulo.

Milton Mendes chegou a receber propostas, como do Bahia. Preferiu não deixar o Santa Cruz. Segundo ele, não era "homem para desistir dos desafios". Por vezes, pensou em jogar a toalha, como na derrota por 3 a 0, para a Ponte Preta, no Arruda. No pós-jogo, atletas entraram na sala de imprensa motivados, segundo eles, por uma informação a respeito de um pedido de mudança do volante Uillian Correia "em todos os setores do clube". Uillian confrontou o repórter que veiculou a informação. Milton tomou o ato como apoio e não deixou o cargo.

Depois da derrota contra o São Paulo, Milton Mendes foi mais uma vez claro. Não só na entrevista, quando disse que tinha "tentado de tudo, inclusive mudando peças e esquema tático". O mesmo discurso foi dito de forma clara para a diretoria. Sem querer perder o treinador, a direção pediu para que ele passasse a última segunda-feira,de folga, num hotel em uma praia no litoral Sul de Pernambuco. Parece não ter sido suficiente para demover Milton da ideia.o.
 
DO GLOBOESPORTE.COM/PE 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker