Página inicial
 
Mural de recados
25.06 | jonathas silva Beringuel
Lamentavel mais um ano perdido pro central. mais um ano de sofrimento pra torcid ...
25.06 | Davi
A ultima vez q fui ao Lacerdão foi na eliminação da serie D de 2009 naquele dia ...
25.06 | Ze ligado
Se espantar com o que??? Foi o central sendo o central simplesmente isso. Já per ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
30/06/2016
10h10 | esportes - SÉRIE A 2016
SÉRIE A - Santa Cruz 0x3 Ponte Preta - Tricolor acumulou quarta derrota seguida na Série A; dos oito últimos jogos no campeonato, são sete derrotas
Oferecimento: Bar e Restaurante da Charque
O Santa Cruz vem se acostumando a perder. Nesta quinta-feira, foi a vez de a Ponte Preta bater o Tricolor, no estádio do Arruda. Na necessidade de uma vitória para deixar a zona de rebaixamento da Série A, a equipe coral permanece por mais uma rodada entre os piores devido ao 3 a 0 sofrido. Além do placar mais elástico sofrido no Brasileirão, os comandados do treinador Milton Mendes acumulam agora quatro derrotas consecutivas na competição. Dos oito últimos jogos, são sete revezes. Diante do retrospecto e da atuação pífia nesta noite, a relação entre time e torcida azedou de vez.

Foram quatro mudanças promovidas por Mendes relação ao jogo passado. Metade delas por critério técnico (Léo Moura no lugar de Vitor; Lelê, no de Daniel Costa) e a outra metade por causa de problemas clínicos dos titulares (Allan Vieira jogou no posto de Neris na zaga; Roberto, por sua vez, ocupou a vaga na lateral esquerda que pertenceu a Allan contra o Corinthians). Entrando numa partida pela primeira vez como um dos quatro últimos do campeonato, o Santa pareceu sentir o peso do Z4 diante da Ponte e teve um rendimento muito inferior ao da derrota por 2 a 1 sofrida na rodada passada, no Itaquerão.

Somente com dois minutos, Uillian Correia, por exemplo, já perdia uma bola no meio-campo que quase resultou em gol de Felipe Azevedo. Mais tarde, quando o jogo já estava 1 a 0 a favor da Macaca, o volante protagonizara outro lance semelhante. Allan Vieira também quase entrega outra na entrada da grande área. Rifou-a antes que o adversário chegasse para abrir o placar. Ofensivamente, embora mantivesse mais posse de bola, os corais erravam no toque final na hora da construção das jogadas. Defensivamente, sem compactação, abriu brecha para o time paulista inaugurar a contagem, aos 19. Em lançamento para Pottker, o zagueiro Danny Morais escorregou e deixou o atacante do time campineiro livre para balançar as redes de Tiago Cardoso: 1 a 0.

Com os jogadores ainda mais nervosos em meio a inevitáveis apupos da torcida, o Tricolor não conseguiu criar mais nada no restante da etapa inicial. O Arruda virou um caldeirão mesmo quando os visitantes ampliaram, aos 38, novamente com Pottker. Lance fruto de um erro de passe de Lelê, que acabou se transformando no principal alvo dos torcedores a partir de então. Um cartão amarelo recebido pelo meia por causa de um carrinho, que o deixa suspenso do próximo jogo, chegou a ser comemorado pela torcida. A Ponte ainda fez mais um nos acréscimos, mas a arbitragem assinalou impedimento.

Milton Mendes sacou Lelê e Léo Moura no intervalo. Mas as entradas de Wallyson e Mário Sérgio, respectivamente, pouco contribuíram para a melhora do Santa. Mais inerte que o comum dentro da área técnica desde o começo da partida, o técnico tricolor assistiu aos tricolores sem força de reação durante todo o segundo tempo. A torcida até tentou jogar junto, por vezes. Faltava qualidade nos atletas. A Macaca levava a partida em banho maria. Ainda assim, a vantagem dela foi ampliada com Felipe Azevedo: 3 a 0. No desespero, Bruno Moraes foi acionado no lugar do zagueiro Danny Morais. O técnico precisava arriscar. O "General" nada fez. A equipe paulista que esteve mais próxima de fazer o quarto. “Adeus, Milton”, a torcida gritou. 

Santa Cruz
Tiago Cardoso; Léo Moura (Mário Sérgio), Danny Morais (Bruno Moraes), Allan Vieira e Roberto; Uillian Correia, João Paulo, Lelê (Wallyson), Arthur e Keno; Grafite. Técnico: Milton Mendes

Ponte Preta
João Carlos; Jeferson, Fábio Ferreira, Kadu (Douglas Grolli) e Reinaldo; João Vitor (Ravanelli), Clayson e Renê Júnior e Matheus Jesus; Pottker e Felipe Azevedo (Nino Paraíba). Técnico: Eduardo Baptista

Local: Arruda (Recife).
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL).
Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque (AL) e Pedro Jorge Santos de Araújo (AL)
Gols: Pottker (21' e 38' do 1T, Ponte) e Felipe Azevedo (24' do 2T, Ponte)
Cartões amarelos: Lelê, Mário Sérgio (Santa Cruz); Jeferson (Ponte Preta)
Público: 8.517
Renda: R$ 112.320,00
 
DO SUPER ESPORTES PE 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker