Página inicial
 
Mural de recados
17.11 | CLEO
VERDADE VICTOR HUGO O REINADO DOS TRÊS DA CAPITAL ACABOU,COMO DIZ O DITADO FIZER ...
17.11 | VICTOR HUGO
TA DECRETADA A QUEDA DO SPORT KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Q BELEZA KKKKKKKKKKKKKKKKKK ...
13.11 | CLEO
É VERDADE MARCOS LEITE O TRIO DE FERRO DA CAPITAL FOI UMA VERGONHA ESSE ANO. ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
04/06/2016
08h00 | esportes - SÉRIE A 2016
SÉRIE A - Atlético/PR 1x0 Santa Cruz - Segunda derrota Tricolor na competição

Depois da perda da invencibilidade na última quarta-feira, o Santa Cruz conheceu neste sábado sua segunda derrota na Série A do Campeonato Brasileiro. Fora de casa, enfrentando um Atlético-PR que entrou na rodada na penúltima posição e precisava da vitória para respirar, o Tricolor procurou ser fiel ao modelo de jogo proposto por Milton Mendes. O bloco baixo, com a defesa bem compactada, até resultou bem na etapa inicial, quando o Furacão praticamente não assustou os corais. Na segunda etapa, porém, o castigo veio quando o Santa Cruz vivia seu melhor momento no confronto. Deivid marcou um golaço de fora da área e selou a segunda derrota consecutiva dos tricolores no Brasileirão.

 

Contra o Atlético-PR, ainda por cima fora de casa, o que se viu foi um Santa Cruz fiel ao estilo de jogo proposto por seu treinador. Os tricolores até ensaiaram, nos minutos iniciais, uma tentativa de sair mais para o jogo com a transição construída em trocas de passes de setor a setor. Como aos seis minutos, quando a equipe passou cerca de um minuto trocando passes, invertendo o lado de jogo, até chegar à área do Furcarão. Mas, ficou por aí.

O que se viu na etapa inicial, a partir dos 10 minutos, principalmente, foi um Tricolor que abria mão de ter a posse de bola, mas com plena consciência do que fazer nas ocupações de espaço. E se a equipe chegava pouco ao ataque, também é preciso dizer que passava poucos sustos na defesa. Não por acaso, o primeiro chute a gol na etapa inicial saiu apenas aos 31 minutos e foi de fora da área - Vinícius aproveitou um rebote e emendou de primeira, tirando tinta da trave.

Os corais criaram pouco no ataque, mas chegaram duas vezes com perigo. Em um espaço de dois minutos, o goleiro rubro-negro teve que intervir para evitar o que poderia ser o primeiro gol tricolor. Aos 34, Everaldo bateu cruzado e Weverton interveio evitando que a bola chegasse a Grafite, que aguardava na pequena área apenas para empurrar a bola para o fundo do gol. Logo a seguir, aos 36. Tiago Costa arriscou um cruzamento, a bola pegou efeito e quase enganava o arqueiro, que teve que fazer a defesa para escanteio.

Após o melhor momento tricolor no jogo, os donos da casa reagiram e tentaram pressionar o bicampeão pernambucano nos minutos finais, em busca do gol antes do intervalo. Nikão e Walter tiveram boas chances, mas esbarraram na segurança de Tiago Cardoso, que assegurou o 0 a 0 ao fim dos primeiros 45 minutos de confronto.

Segundo tempo
Penúltimo colocado na entrada da sexta rodada, ao Atlético-PR, em casa, não interessava outro resultado que não fosse a vitória. Pressionado pela torcida, que cobrava mais intensidade, o Furacão voltou para o jogo partindo para cima do Santa Cruz. A partida ficava à feição do Tricolor. Com o adversário se abrindo, sobravam espaços para os contra-ataques corais. Aos oito minutos Uillian Correia deu belo passe em profundidade para Everaldo. O atacante, porém, dominou mal e desperdiçou grande oportunidade para o Santa Cruz.

Milton Mendes percebeu que o jogo se abria para sua equipe e acionou o veloz e habilidoso Keno, que ficara no banco por questões físicas. O atacante, porém, nem teve oportunidade de tocar na bola, quando o Atlético-PR chegou ao seu gol. Deivid aproveitou a bola que sobrou na entrada da área e, de primeira, acertou o ângulo de Tiago Cardoso. Um golaço.

Atrás no marcador, o Santa Cruz se viu forçado a mudar sua estratégia. Não podia mais esperar pelo oponente, tendo que buscar mais o ataque. Com isso, o jogo ficou mais aberto. ganhando em emoção. Aos 21 minutos, Keno deixou Grafite de frente para o gol. O artilheiro coral, porém, bateu muito mal na bola e jogou para fora a chance do empate. 

As oportunidades se alternavam de um lado a outro. Aos 29, foi a vez de Tiago Cardoso fazer uma grande defesa para evitar que Nikão ampliasse o placar para o Atlético-PR. O placar, porém, manteve-se inalterado. E o Furacão aplicou ao Tricolor sua segunda derrota na Série A.

Ficha do jogo

Atlético-PR 1
Weverton; Léo, Thiago Heleno, Wanderson e Sidcley; Otávio, Deivid e Vinícius; Ewandro, Nikão (Marcos Guilherme) e Walter (André Lima). Técnico: Paulo Autuori.

Santa Cruz 0
Tiago Cardoso; Léo Moura, Neris, Danny Morais e Tiago Costa; Uillian Correia, João Paulo (Bruno Moraes) e Lelê; Wallyson (Arthur), Everaldo (Keno) e Grafite. Técnico: Milton Mendes.

Estádio: Arena da Baixada (Curitiba-PR). Árbitro: Wágner Reway (MT). Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz (Fifa-MS) e Fábio Rodrigo Rubinho (MT). Gols: Deivid (aos 14 min 2º T Atlético-PR). Cartões amarelos: Danny Morais e Uillian Correia (Santa Cruz). Público: 13.515. Renda: R$ 169.690,00.
 
DO SUPER ESPORTES PE 

 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker