Página inicial
 
Mural de recados
22.11 | CLEO
VERDADE MARCONDES ESSA É A HORA DA MASSA ALVINEGRA AJUDAR O CENTRALZÃO. ...
22.11 | MARCONDES
TODOS UNIDOS PELO CENTRAL, IMPRENSA, DIRETORIA E TORCIDA SÓ ASSIM O CENTRAL VAI ...
22.11 | paulo
ESSE BABACA DA PATATIVA DEVE SER TORCEDOR DO SPORTE RECIFE ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
28/04/2016
00h50 | esportes - COPA DO NORDESTE
COPA DO NORDESTE - FINAL >>>>>> Santa Cruz 2x1 Campinense/PB - Tricolor joga pelo empate no próximo domingo para ser campeão
Foi sofrido. Foi só no fim do jogo que o Santa Cruz conseguiu a vantagem para o "segundo tempo" da final da Copa do Nordeste. Em noite de grande público no Arruda, o Tricolor bateu o Campinense por 2 a 1 nesta quarta-feira e pode empatar no próximo domingo, em Campina Grande, para se sagrar campeão inédito do torneio regional. Após Grafite ter aberto o placar na etapa inicial e a Raposa ter empatado depois do intervalo, foi o "General" Bruno Moraes que saiu da reserva para decretar a vitória, aos 46.

Posta à beira do campo antes do começo da final, a taça da Copa do Nordeste dava aos jogadores que entravam em campo, de imediato, a noção da magnitude do jogo. A peça recebia olhares fixados de tricolores e rubro-negros e parecia reluzir a vontade deles de sair com alguma vantagem neste primeiro duelo da decisão. Mas foi o Campinense que iniciou mais aceso na busca deste objetivo. Mesmo com um Arruda lotado, os visitantes não se intimidaram com a pressão. Organizados taticamente, tiveram oportunidade até ter aberto o placar com Felipe Ramon.

Sem o treinador Milton Mendes no banco de reservas, que cumpre suspensão automática por expulsão, o Santa Cruz só aos poucos foi entrando na defesa do adversário, embora a troca de passes ainda não saísse com a primazia de outrora. Logo depois da melhor jogada do time (um cruzamento de Leandrinho não completado por ninguém), o Tricolor chegou ao primeiro gol. Aproveitou-se de um escanteio batido pelo mesmo Leandrinho e Grafite encontrou o caminho das redes, de cabeça, aos 29 da etapa inicial. Fez-se festa no Arruda.
 
 A desvantagem e a torcida coral ainda mais incendiada não esmoreceu o Campinense, que teve chance com Felipe Ramon outra vez. Chegou a marcar um gol com uma testada de Tiago Sala, mas anulado pela arbitragem - que alegou impedimento. Após ter aberto o placar, a equipe pernambucana, por sua vez, intensificou a sua postura cirúrgica, de defender com as linhas próximas e atacar apenas quando encontrava boas brechas. Também bem compactado, o time paraibano fazia com que esses espaços custassem para aparecer, entretanto. 

Sob o comando do auxiliar Edinélson da Silva no segundo tempo, o Tricolor voltou do intervalo num ritmo mais intenso que teve no início do duelo. Não demorou para o goleiro Glédson impedir que Arthur fizesse o segundo numa cabeçada. Por pouco, ele também não leva um gol contra de Leandro Sobral, numa bola que bateu na trave. Em seguida, cresceu para cima de Lelê e evitou um gol que o meia não poderia ter perdido. O Santa Cruz tinha como buscar o gol com mais ímpeto. Mas Lelê e Keno não acompanhavam a toada de Grafite e Arthur.

Defensivamente, os corais começaram a dar o combate ao adversários sem tanta proximidade. A consequência dessa falha foi um escanteio para o Campinense. A consequência desse escanteio, o empate. Tiago Sala colocou no fundo das redes de Tiago Cardoso. Sem cumprir direito a suas atribuições táticas, Lelê ainda perdeu mais um gol e acabaria substituído por Raniel.

O time acusou o golpe e esfriou. Junto da torcida, que vaiava os jogadores que saíram substituídos. Muitos deles começaram a deixar o estádio. Perderam. Não viram o gol de Bruno Moraes, que entrou no lugar de Leandrinho e parecia fadado a passar em branco. Mas, quando o centroavante recebeu a bola dentro da grande área, não perdoou. Estufou as redes de Glédson: 2 a 1. Mais festa no Arruda. As vaias transformavam em euforia, aplausos e gritos para o "General" do Arruda.

FICHA DO JOGO
Santa Cruz
Tiago Cardoso; Vitor (Léo Moura), Neris, Danny Morais e Tiago Costa; Uillian Correia, Leandrinho (Bruno Moraes), Lelê (Raniel), Keno e Arthur; Grafite. Técnico: Milton Mendes.

Campinense-PB
Glédson; Negretti, Joécio, Tiago Sala e Danilo; Leandro Sobral (Chapinha), Magno, Filipe Ramon e Roger Gaúcho (Fernando Pires); Raul (Jucimar) e Rodrigão. Técnico: Francisco Diá.

Local: Arruda (Recife-PE).
Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA).
Assistentes: Elicarlos Franco de Oliveira (BA) e Adaílton José de Jesus Silva (BA).
Gols: Grafite (29' do 1T, Grafite); Tiago Sala (26' do 2T, Campinense) e Bruno Moraes (47' do 2T, Santa)
Cartões amarelos: Uillian Correia (Santa Cruz); Negretti, Tiago Sala e Jucimar (Campinense);
Público: 36.106
Renda: R$ 607.450,00
 
DO SUPER ESPORTES PE 
 
 AN270416038
 
André Nery e Diego Nigro, da JC Imagem

 


.
 
 
 
eXTReMe Tracker