Página inicial
 
Mural de recados
22.11 | MARCONDES
TODOS UNIDOS PELO CENTRAL, IMPRENSA, DIRETORIA E TORCIDA SÓ ASSIM O CENTRAL VAI ...
22.11 | paulo
ESSE BABACA DA PATATIVA DEVE SER TORCEDOR DO SPORTE RECIFE ...
22.11 | CLEO
VERDADE MARCOS LEITE ESSA É A HORA DO VERDADEIRO ALVINEGRO AJUDAR O CENTRALZAO. ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
19/09/2015
05h37 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B: Santa Cruz derrota Ceará, encaixa série de três vitórias e embala em direção ao G4 da Série B
Vitória de primeira! Ou de quem se coloca, de forma definitiva, na briga pelo acesso à primeira divisão. Após primeiro tempo em que o Santa Cruz dominou, mas não matou o Ceará, o jogo ganhou em emoção na etapa complementar. Em casa, o resultado não podia ser outro que não fosse a vitória. E o tricolor foi em busca disso no segundo tempo. Não sem sofrer bastante, como tem acostumado sua torcida nos últimos anos. A equipe coral abriu o placar, deixou o Vozão empatar e apenas nos minutos finais conseguiu tirar a angústia da garganta dos quase 15 mil torcedores na Arena Pernambuco. Triunfo de quem não desistiu. E não há de desistir de conquistar seu retorno à elite do futebol nacional.

Três são as cores do Santa Cruz. E três foram as oportunidades clamorosas desperdiçadas pela equipe coral no primeiro tempo. Após 10 minutos iniciais equilibrados, a equipe tricolor se encaixou em campo, variando ora entre o 4-1-4-1, ora entre o 4-2-3-1, com João Paulo recuando para o lado de Wellington Cézar, vindo buscar o jogo para construir a transição ofensiva desde o meio-campo defensivo. 

Foram dos pés do número 10 coral, por sinal, que saíram duas das três chances criadas pelo Santa Cruz. Após a primeira boa chegada, originada por Lelê e que Nathan não soube aproveitar, João Paulo foi o regente do melhor momento tricolor na etapa inicial. E deu dois belos passes em profundidade, aproveitando as linhas defensivas do Ceará descompactadas. Nathan e Lelê não fizeram jus aos presentes dados pelo companheiro de equipe.

Aos poucos, a partida foi se equilibrando, com o Vozão travando as ações no meio-campo, procurando bloquear os passes de João Paulo e as movimentações de Daniel Costa e Lelê. A equipe cearense pouco agrediu o Santa Cruz. Os visitantes apenas uma vez criaram perigo a Tiago Cardoso, co  Wescley chutando muito mal. Ao intervalo, o zero a zero que insistia no placar refletia a ineficácia tricolor, que no período em que encurralou o Ceará em seu setor defensivo, foi incapaz de abrir o marcador.

Os gols se atraem
Atento, Marcelo Martelotte voltou para a segunda etapa com uma alteração. Saiu Nathan, apagado no primeiro tempo, e em seu lugar veio Diogo Campos. Time mudado, mas nem tanto. Isso porque quem continuou a comandar a equipe foi João Paulo. Sendo do meia o passe preciso para Lelê, que sofreu falta de Cametá dentro da área. Pênalti convertido com tranquilidade pelo ídolo Grafite. E o Santa Cruz se colocava à frente do placar.

O gol deu novo ritmo. No Z4, os cearenses foram em busca da igualdade, abrindo suas linhas e propiciando mais emoção. O Ceará acelerava, o Santa Cruz não aproveitava para contra-atacar. Pior, deixou que os visitantes se aproximassem da área de Tiago Cardoso. Aproximação que teve como consequência natural a igualdade. Em sua terceira tentativa, Ricardinho conseguiu bater Tiago Cardoso e deixar tudo igual na Arena Pernambuco.

A emoção imperou nos minutos finais. Com a partida bastante aberta e o Santa se lançando ao ataque, o Ceará foi criando susto atrás de susto. Mas, no fim, bem no fim, foram os tricolores quem tiveram motivos para sorrir. Graças a uma cabeçada certeira de Vitor, que deu números finais ao jogo: 2 a 1 para os corais.

Ficha do jogo

Santa Cruz 2
Tiago Cardoso; Vitor, Diego Sacomam, Danny Morais e Allan Vieira; Wellington Cézar, João Paulo (Bruno Moraes), Daniel Costa (Vinícius Reche) e Lelê; Nathan (Diogo Campos) e Grafite. Técnico: Marcelo Martelotte.

Ceará 1
Luís Carlos; Cametá (Júlio César), Sandro, Charles e Victor Luís; Carlão (Baraka), G. Andrade, Ricardinho (Ricardo Conceição) e Wescley; Rafael Costa e Mazola. Técnico: Marcelo Cabo.

Estádio: Arena Pernambuco (São Lourenço da Mata-PE). Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra (SP). Assistentes:Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Jean Carlos Rodrigues da Silva (AC). Gols: Grafite e Vitor (Santa Cruz); Ricardinho (Ceará). Cartões amarelos: Vitor (Santa Cruz); Carlão, Cametá (Ceará). Público: 14.558. Renda: R$ 286.940,00
 
Do Super Esportes. 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker