Página inicial
 
Mural de recados
24.06 | Kaio SGD
Olha nos desfalque só o que poder atrapalhar é o desfalque de Agenor o resto pod ...
23.06 | Antonio
Olha a quantidade de possíveis desfalques que o Central pode ter no jogo, é muit ...
23.06 | Danilo
http://sportv.globo.com/site/programas/ta-na-area/noticia/2017/06/empresario-ilu ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
04/10/2014
09h01 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B -> Santa Cruz 3x0 Boa Esporte - Tricolor definiu a partida no primeiro tempo. Confira os gols!
CLIQUE E CONFIRA.

Aproveitando o jogo em câmera lenta do Boa, o Santa Cruz foi esperto e eficiente para definir a vitória por 3×0 em apenas 45 minutos, na noite desta sexta-feira (3), na Arena Pernambuco, pela 27ª rodada da Série B. O resultado deixou os corais com 37 pontos, em nono lugar na classificação e, até o complemento da rodada neste sábado, deixou o time a dez pontos do G4.

Com as propostas de jogo bem parecidas, Santa Cruz e Boa pareciam jogar diante de um espelho. Ambos procuravam dificultar a saída de jogo do adversário, erraram muitos passes pela supremacia dos sistemas defensivos sobre os ofensivos e usaram como recurso as bolas longas da defesa. O equilíbrio permaneceu durou quase 20 minutos, quando o time visitante passou a errar muito mais por falta de concentração do que pela indução dos corais.

Era o que os próprios jogadores costumam chamar de erro ‘bobo’, um escorregão, um passe discplicente quando a bola estava sob pleno domínio. Josa e Lula foram os dois exemplos desse apagão mineiro. Os tricolores não tinham nada a ver com isso e aproveitaram os cochilos. Num deles, aos 22, Keno foi à linha de fundo e cruzou para trás. Wescley dominou, ajeitou para o pé esquerdo enquanto todo mundo apenas admirava. Seguindo o roteiro, o camisa 10 mandou forte, no canto direito de João Carlos.

O gol coral entorpeceu ainda mais o time de branco. Tanto que o segundo saiu no minuto seguinte e numa jogada que já havia sido avisada. A defesa estourou a bola lá de trás e Leo Gamalho desviou de cabeça para Danilo Pires chutar forte e cruzado. Ainda foram precisos mais 11 minutos e outra lambança que quase custou mais um gol para Nêdo Xavier tirar Josa da equipe.

Mas nem adiantou tanto assim porque o tricolor voltou a explorar o lado direito com Tony e Bileu. Este último entrou na área aos 38 minutos e na hora de finalizar foi calçado por Marinho Donizete. Pênalti tão pênalti que nenhum jogador do Boa sequer esboçou protesto. Leo Gamalho foi para a cobrança e mandou no mesmo canto dos dois gols anteriores: 3×0.

O Boa voltou para o segundo tempo com mais uma alteração. France veio no lugar de Diego. Mas mudança de verdade no time, nenhuma. O Boa continuou lento e desatento na marcação. O Santa Cruz deu-se ao luxo de abusar do preciosismo em várias oportunidades e, por isso, não marcou o quarto gol. As jogadas mais verticais deram lugar a troca de passes mais curta e sem objetividade.

Por isso, os chutes saíram mais de fora da área, quase todos sem levar grande perigo para João Carlos. Keno abriu os trabalhos aos dois minutos e chutou fraco novamente aos dez. Leo Gamalho também fez sua tentativa e errou a pontaria. Quem chegou mais perto foi Natan, substituto de Danilo Pires, que mandou raspando a trave direita aos 25 minutos.

Estava tão fácil que o técnico Oliveira Canindé começou a vislumbrar o próximo jogo. Como Tony recebeu o terceiro amarelo ele resolveu testar o que pode acontecer no futuro. Acionou o prata da casa Nininho no setor. Sem a mesma força do titular e já sem Danilo Pires, o lado direito coral perdeu muito de seu poderio ofensivo. Mas que não fazia falta àquela altura da partida.

Nos dez minutos finais, os dois times, conformados com a vitória mais que sacramentada e a derrota impossível de ser revertida, respectivamente, apenas levaram a bola em banho-maria até o apito final.

Ficha do jogo:

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Tony (Nininho), Everton Sena, Renan Fonseca e Tiago Costa (Julinho); Sandro Manoel, Bileu, Danilo Pires (Natan) e Wescley; Keno e Léo Gamalho. Técnico: Oliveira Canindé.

Boa Esporte: João Carlos; Tinga, Thiago Carvalho, Lula e Marinho Donizete; Josa (William Magrão), Wellington, Tomas e Clébson (Morato); Pedro Augusto e Diego (France). Técnico: Nedo Xavier.

Local: Arena Pernambuco, São Lourenço da Mata. Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (SP). Assistentes: Vicente Romano Neto e Carlos Augusto Nogueira Júnior (ambos de SP). Gols: Wescley, aos 22; Danilo Pires, aos 23; e Leo Gamalho, aos 38 do primeiro tempo. Cartões amarelos: Sandro Manoel, Tony, Everton Sena, Natan, Morato, France e William Magrão.

Do Blog do Torcedor 


 
 
 
eXTReMe Tracker