Página inicial
 
Mural de recados
26.06 | Paulo Junior
GAIA NELES. FUTEBOL É COISA SÉRIA, NÃO É BRINQUEDO NÃO. FICAM BRINCANDO COM O FU ...
26.06 | ALCINDO PM
GENTE...GENTE...GENTE...TEM QUE FECHAR AS PORTAS...NO PARANÁ A JUNÇÃO DE DUAS EQ ...
26.06 | alessandro viana
Triste a derrota. Mas é do jogo. Lógico q ninguem goata de perder. o jogo foi mu ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
29/08/2014
20h00 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B -> Santa Cruz vence o Atlético/GO por 2x0
Clique e Confira.
Com muita vantagem no primeiro tempo e tensão no segundo, o Santa Cruz venceu o Atlético de Goiás por 2×0 na noite desta sexta-feira (29), no Arruda, pela 19ª rodada da Série B. O resultado alçou os corais para a 11ª posição, que pode mudar com o fechamento da rodada neste sábado. Wescley e Pingo marcaram os gols da vitória.

Muitos apostavam no Santa Cruz com um trio de volantes e apenas Natan responsável pela armação. Sérgio Guedes veio com Wescley ao lado do prata da casa e se deu bem. Com dois meias rápidos e de movimentação constante o tricolor pôde explorar bem seu ponto mais forte: as jogadas pelos lados do campo. Aos quatro, Tony já fazia bom cruzamento da direita, rebatido pela zaga goiana.

A tentativa seguinte, do lado esquerdo do campo, foi fatal. Renatinho encontrou Keno avançando em velocidade. Ele cruzou rasteiro e Adriano conseguiu cortar. Mas Wescley vinha de frente para o gol sem ninguém a marcá-lo. Bateu com categoria, no canto direito de Roberto. Sete minutos.

O gol cedo deu o equilíbrio que o Santa precisava para buscar o resultado positivo sem afobação. No Atlético-GO o prejuízo nitidamente assustou os jogadores. Os visitantes colocaram seus 10 jogadores de linha no campo defensivo e nem assim conseguiam ‘achar’ os corais. A marcação sempre atrasada/distante do Atlético levou o time pernambuco a abusar do preciosismo em algumas oportunidades.

Curiosamente, o único jogador a destoar do ritmo veloz foi o artilheiro do time. Por não ser um jogador de explosão, Leo Gamalho era a única presa fácil para os defensores goianos. E isso prejudicou a finalização. Os donos da casa pressionavam, trocavam de posições, enganavam a marcação adversária mas não conseguiam bombardear a meta de Roberto. Do outro lado, com o time mal posicionado defensivamente, o Atlético não tinha forças para engatar os contra-ataques. A equipe viveu praticamente das jogadas individuais de Jorginho, muito pouco para reverter o quadro.
As finalizações vieram em bolas paradas e em jogadas aéreas sempre sem levar perigo.

Depois de praticamente todo primeiro tempo correndo atrás dos tricolores, o Atlético voltou para o segundo tempo com um posicionamento menos conservador com o objetivo de sufocar as investidas do Santa pelas laterais. O volante Pedro Bambu ocupou a faixa direita para bloquear as saídas de Renatinho e André Luís fez o mesmo na esquerda para dar menos liberdade a Tony.

Deu certo porque o meio de campo da equipe de branco também avançou e diminui o espaço dos volantes. O jogo perdeu em velocidade mas ganhou em equilíbrio. Mesmo sem conseguir impor seu ritmo, o Santa não sofreu tanto porque os jogadores do Atlético preferiram os chutes de longa distância às trocas de passes para entrar na área.

Foi a vez do time da casa não se adaptar à nova realidade. Como seus jogadores de meio de campo têm por característica o jogo curto, o tricolor não conectava os contra-ataques, mesmo com espaço. De tão truncado, o primeiro lance de perigo só veio aos 15 minutos, quando Luciano Sorriso entrou na área e acertou a trave direita de Tiago Cardoso.

Somente na reta final, o Santa conseguiu engatar velocidade no contra-golpe. Aos 35, Juninho fez falta em Wescley. Três minutos depois, foi apontado impedimento (inexistente) em Keno. O detalhe é que nessa segunda jogada, o goleiro Roberto saiu com as mãos fora da área, jogada que configuraria expulsão.

Na terceira tentativa, aos 47, Danilo Pires fugiu pela direita e cruzou rasteiro. Leo Gamalho tentou com o toque sutil e não conseguiu, mas a bola sobrou para Pingo tentar na primeira e dividir com Roberto. Ele ainda pegou o rebote e estufou as redes

Ficha do jogo:

Santa Cruz: Tiago Cardoso; Tony, Everton Sena, Renan Fonseca e Renatinho; Sandro Manoel, Everton (Memo), Wescley e Natan (Danilo Pires); Keno (Pingo) e Léo Gamalho. Técnico: Sérgio Guedes.

Atlético/GO: Roberto; Jonas, Artur, Lino e Victor Oliveira; Marcus Winícius, Pedro Bambu (Diogo Campos), Luciano Sorriso e Jorginho; André Luís (Juninho) e Yago (Caíque). Técnico: Hélio dos Anjos.

Série B (19ª rodada). Estádio: Arruda, Recife (PE). Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA). Assistentes: Janette Mara Arcanjo (MG) e José Carlos Oliveira dos Santos (BA). Gols: Wescley, aos sete do primeiro. Pingo, aos 47 do segundo. Cartões amarelos: Tony, Everton Sena, Sandro Manoel, André Luís e Juninho. Expulsão: Jonas.
 
Do Blog do Torcedor 

...
 
 
 
eXTReMe Tracker