Página inicial
 
Mural de recados
16.01 | Anderson
Davi, Fernandinho saiu do Central e foi para o Ferroviário-CE. ...
16.01 | Ronaldo Fonseca
O Central só tem estes 8 jogadores regularizados? Preocupante. ...
16.01 | Torcedor
Esse time do Salgueiro vai brigar pra não ser rebaixado, o time é muito fraco. ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
11/01/2018
13h19 | esportes - NÁUTICO
NÁUTICO --- Após rodar no interior paulista, em Malta e no Iraque, atacante Daniel Bueno realiza sonho no Timbu
Contratado na última quinta-feira com a missão de ser o novo "homem-gol" do Náutico, o atacante Daniel Bueno não teve muito tempo para conhecer os novos companheiros e já fez a sua estreia na última segunda-feira, na partida de ida da seletiva da Copa do Nordeste, contra o Itabaiana. Jogo que também simbolizou um momento importante na carreira do experiente jogador, de 34 anos.

Isso porque após passagens por vários clubes do interior de São Paulo e de países de pouca expressão no futebol como Malta e Iraque, o centroavante, enfim, defende um clube de tradição do futebol brasileiro. O que para ele é a "realização de um sonho".

"Resolvi voltar muito tarde para o futebol do Brasil. Estava conversando com a minha esposa e a minha filha sobre isso. Ela foi alfabetizada fora do Brasil. Chega uma hora que cansa um pouco. Conversamos e decidimos voltar ao Brasil em 2015", destacou o avançado, repatriado pelo XV de Piracicaba. Ainda pelo futebol do interior paulista, passou também por Atlético Sorocaba, Noroeste, Santo André, São Caetano e Rio Claro.

"Agora o Náutico abriu as portas para mim. É o primeiro clube grande e de história no futebol brasileiro que eu vou atuar. É a realização de um sonho", completou.

Mercado periférico

Mas a carreira de Daniel Bueno foi marcada mesmo pelas experiências fora do País. Ao todo foram oito temporadas seguidas no exterior, defendendo clubes da República Tcheca, Polônia e de mercados ainda mais periféricos. Em Malta, pequeno país no sul da Europa, de apenas 438 mil habitantes, jogou por cinco temporadas, marcando 72 gols em 135 jogos (média de 0,53 gols por partida)

Já no Iraque, a passagem foi curta, em 2014. De apenas poucos dias. "Fui convidado para jogar a Liga Iraquiana, mas passei poucos dias. Onde a gente não se sente bem a pede para ir embora. Não me adaptei", pontuou o jogador que com tanta bagagem internacional acabou adquirindo conhecimentos que pretende colocar em prática no Timbu.

"Cada lugar tem seu estilo. No Japão, onde fui no início da minha carreira, é um jogo de mais velocidade. Na República Tcheca e na Polônia é um futebol de mais bola alçada na área. Já em Malta, por ser um país pequeno, cada treinador tem seu estilo. Depende se ele é inglês, italiano...Jogando na Europa aprendi a marcação, a fazer o pivô, a sair mais da área e abrir espaços para os pontas. Agora quero passar essa experiência para o pessoal mais jovem", destacou o rodado Daniel Bueno.
 
DO SUPER ESPORTES PE 

...
 
 
 
eXTReMe Tracker