Página inicial
 
Mural de recados
21.11 | MARCOS LEITE
AOS POUCOS O CENTRAL TÁ ARRUMANDO A CASA, MONTANDO O TIME, VAMOS APOIAR ESSA FES ...
21.11 | VICTOR HUGO
GALERA VAMOS NO EVENTO DO CENTRAL, FIÉIS CENTRALINOS VÃO LÁ NA FEIJOADA, VAMOS N ...
21.11 | Patativa
Esse Pierre poderia ir morar em salgueiro,só fala desse time do sertão, então ca ...
 
[Enviar] [Listar]
Esportes
Vídeos
CENTRAL de CARUARU
Clube Atlético do Porto
Sport Club do Recife
Santa Cruz Futebol Clube
Clube Náutico Capibaribe
Salgueiro Atlético Clube
Futebol Pernambucano
Futebol Nacional
Futebol Internacional
Opinião
Giros
Enquete
Não existe enquete no momento!
 
Publicidade
 
 
11/11/2017
18h28 | esportes - SÉRIE B
SÉRIE B - Boa Esporte 4x2 Santa Cruz - Rebaixamento para a Série C fica inevitável
O Santa Cruz não não teve forças para bater o limitado Boa Esportes, neste sábado, em Varginha. No jogo dos desesperados, as duas equipes brigavam contra o rebaixamento, pior para os tricolores. Mais uma vez, o time coral mostrou toda a sua limitação técnica diante de um adversário direto. A derrota por 4 a 2, no Estádio Dilzon Melo, praticamente rebaixou o time pernambucano à Série C. O Santa está sendo seguro apenas por um fio. A queda pode ser concretizada, matematicamente, ainda ao fim desta rodada com a vitória do Guarani diante do CRB.

As duas equipes entraram em campo com um só objetivo: vencer. Um tropeço, mesmo que fosse o empate, poderia ser desastroso na luta contra o rebaixamento. Assim, a partida foi aberta desde o apito inicial. O Santa Cruz jogava a vida. E viveu uma encruzilhada. O time não poderia arriscar tudo ofensivamente e abrir a retaguarda para não ser surpreendido. Mas, as limitações técnicas corais acabaram trabalhando contra. Na primeira jogada em velocidade do Boa Esporte, aos 12 minutos, Rodolfo invadiu a àrea tricolor e foi derrubado, infantilmente, por Wellington Cézar. Pênalti. O próprio Rodolfo cobrou com categoria e abriu o placar. 1 a 0.

O gol do time mineiro no início do jogo era tudo que o Santa Cruz não queria. Mas, a reação coral não demorou. Aos 15 minutos, depois de uma cobraça de escanteio, a zaga do Boa cortou errado e Ricardo Bueno pegou a sobra, na entrada da área. O chute saiu mascado, a bola desviou em dois jogadores para entrar chorando no gol adversário. 

O empate relâmpago foi importante para equilibrar as ações. Apesar da maior posse de bola dos mineiros, as chances ofensivas não foram tão claras. A melhor aconteceu aos 31 minutos, quando Geandro arriscou chute de fora da área e a bola passou raspando a trave de Julio Cesar. As oportunidades do Boa surgiam sempre pelo lado direito defensivo do Santa Cruz, nas costas do lateral Walber. Alí estava a avenida para os ataques da equipe de Varginha. 

MAIS GOLS
Tanto que, no retorno para o segundo tempo, o técnico Marcelo Martelotte sacou Walber e colocou o volante Derley, improvisado, na lateral. A ideia era melhorar a marcação naquele setor. Surtiu efeito? Óbio que não. Nos primeiros minutos até que Derley segurou a subidas do atacante Reis. Porém, com o passar do tempo, o posicionamento retrancado do time coral, acabou facilitando as coisas para o adversário. 

Trabalhando sempre na velocidade de Reis, o Boa foi crescendo no jogo. Aos 18 minutos, Rodolfo recebe na entrada da área, gira em cima de Anderson Salles e chuta, colocado, no canto esquerdo de Julio Cesar para fazer um bonito gol. 2 a 1. O Santa Cruz sentiu o golpe. Quatro minutos depois, como já tinha acontecido nos dois últimos jogos, o árbitro da partida marcou um pênalti inexistente. Rodolfo foi cruzar a bola e chutou no peito do zagueiro Guilherme Mattis. O árbitro paranaense Paulo Roberto Alves Júnior marcou a penalidade. O próprio Rodolfo bateu para ampliar. 3 a 1. 

A partir daí, o Santa Cruz se desencontrou em campo. Martelotte até tentou dar novo fôlego. Colocou Grafite no lugar de Bruno Paulo e o zagueiro Bruno Silva na vaga de Yuri. Pouco depois, porém, o Tricolor sofreu o quatro gol. Aos 34 minutos, Paulinho arrisca de fora da área, Julio Cesar espalma e Wesley pega o rebote, dribla o goleiro e faz o quarto gol mineiro. Juntando os cacos, os corais saíram para o jogo. Grafite, aos 37 minutos, diminuiu o marcador, depois de uma boa jogada ofensiva, e tocou na saída do goleiro. Mas já era tarde demais.
 
DO SUPER ESPORTES PE 

.
 
 
 
eXTReMe Tracker